Porto de Galinhas

O tempero praieiro de Lúcia Soares no Porto Mix

A chef comanda com carisma um restaurante turístico que os pernambucanos também vão amar

Flávia de Gusmão
Flávia de Gusmão
Publicado em 30/06/2017 às 14:55
Divulgação
A chef comanda com carisma um restaurante turístico que os pernambucanos também vão amar - FOTO: Divulgação
Leitura:

O Porto Mix não é o meu tipo de restaurante, mas Lúcia Soares é meu tipo de chef. Não por nada, mas porque o endereço é voltado para atender às necessidades dos turistas e eu, obviamente não sou turista, mesmo considerando visitas eventuais a Porto de Galinhas. Isso significa dizer que lá veremos o kit completo: chuveirões, guarda-volumes, música ao vivo (às vezes alta demais), pequenos e grandes grupos de clientes que se sucedem todo o tempo.

Não é intimista ou aconchegante, mas, pairando sobre tudo isso está o carisma e profissionalismo desta mulher incrível, que verte animação pelos olhos e sinceridade na sua culinária. Ela o torna acolhedor. Os pratos rezam pela cartilha da polivalência, desfilando por avenidas paralelas como filé, frango, parmigiana, picanha, carne de sol, camarão, peixes (divididos entre tilápia, salmão, pescada amarela, peixe inteiro) e ainda moquecas, camarão e lagosta. Ufa. As divisões podem ser por uma, duas ou três pessoas, mas, dependendo do apetite do freguês, rende mais.

O capítulo de petiscos é tão alentado quando o dos pratos principais, contando com consideráveis 26 itens. É certo, no entanto, que Lúcia vai sugerir, para abrir os caminhos, o seu famoso caldinho, que pode ser de peixe ou de camarão, aos quais ela confere poderes afrodisíacos. Tenham ou não, de fato, tal propriedade, é indiscutível que possuem sabor e cremosidade para excitar o paladar a ponto de querermos mais. Acompanhados por uma das opções de caipifrutas, sempre com produtos frescos, é tiro certo como primeira boa impressão. Casquinho de caranguejo, anéis de lula empanados e agulhinha frita são outros clássicos presentes. O preço dos petiscos varia de R$ 9,90 (os caldinhos) a R$ 63,90 (o polvo a vinagrete).

TRAJETÓRIA

Lúcia Soares é uma estreante como empresária, mas não no batente. Durante 15 anos, o vizinho restaurante Peixe na Telha esteve sob seu comando. Ela deixou o posto com intenção de acompanhar o marido, também do métier de restaurantes, numa realocação de emprego, quando o casal passaria a morar em Ribeirão Preto (SP).
O destino não quis, fazendo-a ficar sob a forma de uma proposta irrecusável para se tornar sócia num empreendimento que, a exemplo do antigo endereço, também fica à beira-mar e é voltado para o mesmo segmento. De frente para as famosas piscinas naturais, o visual é privilegiado.

O ambiente, naturalmente, remete aos frutos do mar. Por isso decidimos provar um dos peixes sugeridos pela casa. O filé de pescada amarela veio chapeado no ponto, coberto por um molho à base de vinho branco, manteiga de alcaparras e cogumelos, fazendo-se acompanhar por um cuscuz marroquino ao qual a chef acrescentou banana e abacaxi puxados na manteiga. Absolutamente delicioso. Quando misturado ao pirão dourado que foi servido ao lado, o efeito era simplesmente inesquecível.
Lúcia Soares tem muito orgulho de sua equipe – e com razão –, não raras vezes convidando o cliente a visitar sua cozinha, onde as panelas brilham como novas. No salão, a simpatia parece herdada da própria anfitriã. Um mix de alma e devoção.

Porto Mix – Av. Beira Mar, s/n, Porto de Galinhas, Ipojuc, fone: (81) 3552-1617

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias