tela grande

Retrospectiva de Kubrick no cinema São Luiz

Festival Janela Internacional de Cinema programa retrospectiva com 12 dos 13 longas do diretor, no cine da Rua da Aurora

Carlos Eduardo Santos
Carlos Eduardo Santos
Publicado em 04/10/2011 às 10:25
Leitura:

Para os cinéfilos recifenses, a semana não poderia ter começado melhor. O 4º Festival Janela Internacional de Cinema anunciou, nesta segunda-feira (3), uma retrospectiva inédita no Brasil. De 4 a 13 de novembro, serão exibidos, no Cinema São Luiz, 12 dos 13 longas do cineasta americano Stanley Kubrick. A retrospectiva, uma homenagem ao clássico Laranja mecânica (A clockwork orange, 1971), que completa 40 anos, causou comoção nas redes sociais. Ocorre que, assim como se deu com a Trilogia dos dólares, de Sérgio Leone, exibida no Janela ano passado, essa será para muitos a primeira oportunidade de ver na tela grande os clássicos de Kubrick.

Laranja mecânica é um dos mais aclamados filmes do cineasta. O longa, adaptação do romance homônimo de 1962 do escritor inglês Anthony Burgess, tornou-se um queridinho cult ao unir música clássica e anarquismo, em um bem fundamentado debate sobre violência, juventude e filosofia. Com ele, o cineasta foi indicado a quatro Oscars, sem faturar nenhum, provavelmente devido às polêmicas geradas pelo filme. Na Inglaterra, por exemplo, onde foi filmado, Laranja mecânica foi tirado de circulação pelo diretor em 1974 e só voltou a ser exibido em 1999, depois da sua morte. Este ano, o longa ganhou versão restaurada em 4K (com resolução cinco vezes maior que a disponível na maioria das salas), apresentada no Festival de Cannes, em maio.


É essa mesma tecnologia que será usada no Cinema São Luiz. "As cópiasem digital dos filmes serão trazidas dos Estados Unidos e Inglaterra em resolução2K e 4K. Serão projetadas num projetor especial trazido de São Paulo e de usoaindainédito num festival brasileiro. É um projetor Christie, o mesmo usadoem Cannes, com a mesma potência", explica o cineasta Kleber MendonçaFilho, um dos idealizadores do Janela.

O aniversariante não foi o único filme de Kubrick a ter sua exibição proibida pelo diretor. Seu primeiro longa-metragem, Medo e desejo (Fear and desire, 1953), que ficou fora da retrospectiva no São Luiz, foi tirado de circulação porque o cineasta o considerava "amador", e até hoje está fora de catálogo. É possível, porém, assisti-lo na internet. De fato, apesar de não ser de todo ruim, o longa fica bastante aquém de outros trabalhos de Kubrick, como os excelentes A morte passou por perto (Killers kiss, 1955), que abre a mostra, e 2001: uma odisseia no espaço (2001 A space odissey, 1968), que aproximou o diretor do grande público.

Leia mais na edição desta terça-feira (4) do Jornal do Commercio

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias