CINEMA

Homem de Ferro faz 50 anos em grande estilo

Terceiro filme da franquia com Robert Downey Jr. comemora a data

Ernesto Barros
Ernesto Barros
Publicado em 24/04/2013 às 6:06
Disney Pictures/Divulgação
Terceiro filme da franquia com Robert Downey Jr. comemora a data - FOTO: Disney Pictures/Divulgação
Leitura:

Robert Downey Jr. e Tony Stark. Difícil dissociar o ator do personagem. Esta combinação impecável transformou a franquia Homem de Ferro no melhor produto cinematográfico da Marvel. A comprovação está em Homem de Ferro 3 (Iron Man 3, 2013), que estreia à meia-noite de sexta-feira (26/04) em várias capitais brasileiras.

A trilogia, iniciada em 2008, chega ao fim com o personagem alcançando um arco dramático de fazer inveja aos outros super-heróis do universo Marvel. Mas, há a possibilidade de um quarto filme, ainda com Robert Downey Jr., para a alegria geral dos fãs.

Ao contrário de outras trilogias, em que o filme do meio geralmente é o melhor, a franquia teve um começo e um fechamento com impacto semelhante. Com pouco desequilíbrio, os três filmes mantiveram a ação e o humor sempre em alta. Agora, com a chegada do diretor-roteirista Shane Black, que substitui o diretor-ator Jon Favreau, Homem de Ferro 3 ganha diálogos engraçados impagáveis e um olhar mais penetrante sobre o declínio de poder dos Estados Unidos na geopolítica atual.

O Homem de Ferro nunca foi um super-herói de primeira linha da Marvel, com um séquito de fãs semelhante ao do Homem-Aranha, Hulk ou os X-Men. De fato, nem superpoderes ele tem. De certa maneira, Tony Stark parece mais um ciborgue, já que ele sobrevive graças a um artefato mecânico que permite seu coração bater, além da armadura – que não é de ferro, diga-se, mas principalmente de ouro.

Para além de sua força, o personagem sempre foi cativante, desde seu nascimento, na revista Tales of suspense, em março de 1963, pelas mãos de Stan Lee, Don Heck e Jack Kirby (desenhista da primeira armadura). Portanto, durante 50 anos de existência, o charme de Tony Stark permaneceu intacto. Como um rico playboy, o inventor – ou mecânico, como se declara no filme Homem de Ferro 3 –, trouxe humor e um savoir faire raro para o mundo das histórias em quadrinhos.

Com influência da narrativa do film noir e dos filmes de dupla (buddy movie), Homem de Ferro 3 satisfaz aos fãs mais exigentes. Desta vez, Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) é mais exigida do que uma simples namorada de Tony Stark, assim como o renitente coronel Rhodes (Don Cheadle), que está bem mais presente.

Além de Ben Kingsley, o longa traz Rebecca Hall, Guy Pearce e o pirralho Ty Simpkins, que tem ótimas cenas contracenando com Tony Stark numa cidadezinha do Tennessee. É diversão, mas com cérebro. Em tempo: não saia da sala de cinema no meio dos créditos finais. Há uma cena deliciosa com um dos Vingadores.

Leia a matéria completa na edição desta quarta-feira (24/04) no Caderno C, do Jornal do Commercio.

Últimas notícias