CINEMA

Drama australiano Lore vê a guerra pela ótica dos perdedores

Filme entra em cartaz no Moviemax Cine Rosa e Silva

Ernesto Barros
Ernesto Barros
Publicado em 07/02/2014 às 6:02
Europa Filmes/Divulgação
Filme entra em cartaz no Moviemax Cine Rosa e Silva - FOTO: Europa Filmes/Divulgação
Leitura:

Com a morte de Adolph Hitler, em 1945, os alemães perderam o direito de contar suas histórias de perdas. Pelo menos no cinema, a guerra sob o ponto de vista alemão é uma raridade. Mais ainda quando o cinema propõe algo que não seja o chamado “filme de guerra”. O longa-metragem Lore (2013), dirigido pela australiana Cate Shortland, vislumbra um pouco das dificuldades que o povo alemão passou quando os exércitos aliados invadiram o país. O filme estreia nesta sexta-feira (07/02) no Moviemax Cinema Rosa e Silva.

Coprodução entre a Austrália, Alemanha e Reino Unido, Lore é tanto uma experiência sensorial quanto histórica. Toda a narrativa do filme é filtrada pelos olhos e a emoção de Lore (Saskia Rosendahl), uma menina de 14 anos que assume a guarda de quatro irmãos, entre eles um bebê, depois que são abandonados pelos pais nazistas.

A menina carrega os irmãos em direção à casa da avó. No caminho, ela testemunha o calvário de qualquer perdedor (as mulheres, sempre estupradas) e ainda fica face a face com a ajuda de um rapaz que se diz judeu. Apostando na plasticidade e na desorientação de sua personagem principal, Lore é um filme que surpreende pelo embate entre e a rudeza e a poesia.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias