adeus

Funeral de Seymour Hoffman é realizado em igreja católica de Nova Iorque

Além da família, estiveram presentes muitos amigos de Hoffman, incluindo os atores Cate Blanchett, Amy Adams e Joaquin Phoenix

Da AFP
Da AFP
Publicado em 07/02/2014 às 20:01
Foto: AFP
Além da família, estiveram presentes muitos amigos de Hoffman, incluindo os atores Cate Blanchett, Amy Adams e Joaquin Phoenix - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Familiares e amigos do ator americano Philip Seymour Hoffman, encontrado morto no domingo supostamente por uma overdose de heroína, deram seu último adeus ao astro nesta sexta-feira (7) em um funeral privado em uma igreja de Manhattan.

A cerimônia começou ao meio-dia na Igreja Católica de Santo Inácio de Loyola, em Park Avenue, a mesma em que foi realizado, em 1994, o funeral de Jackie Kennedy Onassis, a esposa do ex-presidente americano, John F. Kennedy.

Além da família, estiveram presentes muitos amigos de Hoffman, incluindo os atores Cate Blanchett, Amy Adams e Joaquin Phoenix, que também estiveram presentes na quinta-feira à noite em seu velório na capela Frank E. Campbell, no mesmo bairro do Upper East Side.

O funeral foi fechado à imprensa. Apenas as pessoas incluídas na lista de convidados puderam entrar na igreja.

Hoffman, que tinha 46 anos, ganhou o Oscar de Melhor Ator em 2006 por sua interpretação no filme "Capote". O ator havia se separado recentemente de sua namorada Mimi O'Donnell, mãe de seus três filhos.

Dezenas de jornalistas, cinegrafistas e fotógrafos estavam na porta da igreja, vigiados pela polícia. A família prepara uma cerimônia aberta para o final do mês, segundo a imprensa local.

A necropsia do ator, encontrado morto por uma aparente overdose de heroína em seu apartamento em Manhattan, foi inconclusiva e, por isso, as autoridades decidiram realizar exames adicionais.

A polícia encontrou vários pacotes de heroína ao lado do corpo de Hoffman. Durante uma busca mais minuciosa, foram encontradas mais de 50 doses da mesma substância, seringas e comprimidos.

Considerado um dos mais talentosos de sua geração, Hoffman passava por um momento difícil e tinha sofrido uma recaída no uso de drogas. Depois de quase ter morrido jovem, ele chegou a ficar "limpo" por 23 anos.

Como parte da investigação sobre a sua morte, a polícia deteve na noite de terça quatro pessoas suspeitas em uma operação realizada em uma casa de Manhattan, onde uma "grande quantidade" de heroína também foi apreendida.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias