Premiação

Longa 'Tatuagem' é o indicado brasileiro ao Goya

Filme de Hilton Lacerda narra a história de Clécio Wanderley, o líder da trupe de cabaré anarquista Chão de Estrelas

Danilo Galindo
Danilo Galindo
Publicado em 10/10/2014 às 13:34
Foto: Divulgação
Filme de Hilton Lacerda narra a história de Clécio Wanderley, o líder da trupe de cabaré anarquista Chão de Estrelas - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

O longa Tatuagem, de Hilton Lacerda, foi o escolhido, entre 12 inscritos, para ser o candidato brasileiro a uma vaga entre os finalistas da categoria Melhor Filme Ibero-Americano da 29ª edição do Prêmio Goya. O prêmio, organizado pela Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha e um dos mais importantes eventos cinematográficos do país, é concedido desde 1987 aos destaques de cada ano e será entregue em 8 de fevereiro de 2015, em Madri.

Tatuagem, que se passa no final dos anos 1970, narra a história de Clécio Wanderley, o líder da trupe de cabaré anarquista Chão de Estrelas. Sua vida muda ao conhecer o jovem soldado Arlindo Araújo, que todos chamam de Fininha. Estreia do roteirista e cineasta pernambucano Hilton Lacerda na ficção, o longa recebeu cinco prêmios no Festival do Rio 2013 (Melhor Filme de Ficção pelo voto popular, Prêmio FIPRESCI, Prêmio Especial do Júri Ficção, Melhor Ator e Melhor Ator Coajuvante) e três no 41º Festival de Gramado (Melhor Longa-metragem, Melhor Ator e Melhor Trilha Musical).

Segundo os membros da comissão que escolheu Tatuagem para ir ao Goya, o filme foi escolhido dentre “uma lista particularmente forte, com várias opções de excelente qualidade, por ser o que lhes pareceu melhor representar uma cinematografia ao mesmo tempo profundamente brasileira e de alto impacto estético, possuindo ainda uma dimensão política importante.”

A comissão de seleção foi composta por Ailton Franco Jr., indicado pelo Fórum dos Festivais; Luis Erlanger, indicado pela Academia Brasileira de Cinema; Luiza Lusvarghi, indicada pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema - Abraccine; Sylvia Abreu, indicada pelo Programa Cinema do Brasil; e Eduardo Valente, assessor internacional da Ancine, representando a Agência.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias