CINEMA

Cineasta Kleber Mendonça Filho manda recado ao Ministro da Cultura

Marcelo Calero criticou o cineasta pelos protestos durante o Festival de Cannes

JC Online
JC Online
Publicado em 06/06/2016 às 16:05
Divulgação
Marcelo Calero criticou o cineasta pelos protestos durante o Festival de Cannes - FOTO: Divulgação
Leitura:

O cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho respondeu, nesta segunda-feira (6/6), na sua conta do Facebook, a uma declaração do Ministro da Cultura, Marcelo Calero, que foi ao ar nesse domingo, no programa Preto no Branco, veiculada no Canal Brasil e publicada em vários jornais do País. 

Kleber publicou um post endereçado ao ministro ao compartilhar um artigo do jornal New York Times, intitulado "Medalha de ouro de corrupção: Imunidade é injustificável". No post, Kleber escreveu: "Caro Ministro Calero, talvez isso aqui redefina sua noção de o nosso país passar vergonha internacionalmente. O THE NEW YORK TIMES é o mesmo jornal de influência mundial que incluiu meu filme anterior - O SOM AO REDOR -, fruto do MinC, entre os 10 Melhores de 2012, um orgulho para a Cultura Brasileira. Abs, Kleber" 

Na entrevista dada ao jornalista Jorge Bastos Moreno, colunista de O Globo, o ministro criticou o protesto feito pelo cineasta e os membros da equipe de Aquarius, no Festival de Cannes, em 17 de maio, quando levantaram cartazes de que o Brasil sofreu um golpe.

Numa das respostas ao jornalista, o ministro disse: "Estão comprometendo (a imagem do País) em nome de uma tese política, e isso é ruim. Eu acho até um pouco totalitário, porque você quer prentender que aquela visão específica realamente cobre a imagem de um país inteiro. Eu acho que a democracia precisa ser respeitada e acho que é um desrespeito falar em golpe de Estado com aqueles que viveram o golpe realmente, o de 64. Pessoas morreram. E as pessoas esquecem disso. Então eu acho isso de uma irresponsabilidade quase infantil..."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias