Diversidade

Viola Davis é a primeira atriz negra indicada três vezes ao Oscar

Atriz, que também foi a primeira negra a ganhar o Emmy de melhor atriz, continua fazendo história

JC Online
JC Online
Publicado em 24/01/2017 às 14:35
Reprodução
Atriz, que também foi a primeira negra a ganhar o Emmy de melhor atriz, continua fazendo história - FOTO: Reprodução
Leitura:

Viola Davis continua fazendo história. Ao ser indicada ao Oscar 2017 na categoria melhor atriz coadjuvante, pelo filme Fences, ela se torna a primeira atriz negra três vezes indicada à premiação, como ressalta o site LA Times.

Em um ano no qual há maior diversidade entre os indicados ao Oscar, com indicações para cerca de seis filmes com temáticas voltadas para histórias de afrodescendentes, a indicação de Viola (e sua provável vitória, segundo especialistas) é um marco para a premiação. Antes, o recorde pertencia a Whoopi Goldberg, com duas indicações, a melhor atriz em A Cor Púrpura (1986) e a melhor atriz coadjuvante em Ghost – Do Outro Lado da Vida (1991), da qual saiu vencedora.

Em 2017, também há outro fato inédito: com a indicação de Viola Davis, Naomie Harris (Moonlight: Sob a Luz do Luar) e Octavia Spencer (Estrelas Além do Tempo)a atriz coadjuvantes, é a primeira vez que três atrizes negras concorrem à categoria no mesmo ano.

Anteriormente indicada por Dúvida (2009) e Histórias Cruzadas (2012), Viola Davis já havia feito história no mundo do entretenimento em 2015, ao se tornar a primeira negra a vencer o Emmy de Melhor Atriz pela série How To Get Away With Murder, na qual interpreta a advogada Annalise Keating.

Ao vencer a estatueta, a atriz proferiu um poderoso discurso a respeito a diversidade em Hollywood. "A única coisa que diferencia as mulheres negras de qualquer outra pessoa é a oportunidade", disse Viola Davis, à época.

CERCAS

Filme pelo qual Viola Davis concorre como melhor atriz coadjuvante, Cercas é dirigido e estrelado por Denzel Washington, e foca em uma família dos Estados Unidos, na qual o pai, um jogador de beisebol aposentado, agora trabalhando como coletor de lixo, precisa lidar com seus sonhos e frustrações, assim como o de sua esposa e filho. O filme ainda não tem data de estreia no Brasil.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias