Destaque

Pernambucano Gabriel Nóbrega é nome forte do stop motion no Brasil

Multiartista, que criou o vídeo da Apple sobre Carnaval de Olinda, fala sobre projetos

JC Online
JC Online
Publicado em 21/02/2017 às 11:35
Divulgação
Multiartista, que criou o vídeo da Apple sobre Carnaval de Olinda, fala sobre projetos - FOTO: Divulgação
Leitura:

Quando começou a se interessar por animação e, ainda na adolescência, de forma autodidata, se aprofundou na técnica do slow motion (quando imagens fotográficas são sobrepostas para simular movimento), Gabriel Nóbrega dificilmente imaginaria que esta se tornaria uma de suas marcas registradas. Responsável pelo vídeo da Apple que fez sucesso nas redes sociais com uma homenagem ao Carnaval de Olinda, o pernambucano é um dos nomes fortes da área no País, tendo sido premiado, entre outros, no Festival de Cannes.

Filho do multiartista Antonio Carlos Nóbrega, Gabriel começou na música cedo e, por volta dos 10 anos, já participava dos shows do pai pelo Brasil e no exterior. Bateria, alfaia, pandeiro, piano: ele toca de tudo um pouco. A afinidade com a música se aprofundou paralelamente à dedicação ao cinema. Em sua casa, montou um estúdio improvisado, o Animatório, onde se lançou nas primeiras experimentações com stop motion.

“Meu primeiro contato com a animação foi através do stop motion. Comecei bastante cedo, fazendo curtas experimentais, colocando em prática informações que eu colhia da internet. Talvez por ser tão artesanal, até hoje é a técnica que mais me fascina”, explicou Gabriel. 

O vídeo para a Apple, gravado em um estúdio em São Paulo, utilizou a criatividade e experiência de Gabriel com stop motion para fazer uma homenagem ao Carnaval, tendo como referência a Folia de Momo de Olinda. Para realizá-lo, Nóbrega e o VetorZero/Lobo, estúdio do qual é sócio, utilizaram cerca de 500 fotografias. As imagens aludem a referências da festa, como bonecos gigantes e passistas. 

“Tentei ao máximo representar o Carnaval brasileiro da forma mais abrangente possível. Mas, foi inevitável recorrer à memória na hora de criar, e como pernambucano, muito do que vivi nos carnavais de Olinda e do Recife acabaram ficando bastante presentes no vídeo”, reforçou. 

Sobre o sucesso do vídeo, que já passou das 4 milhões de visualizações, Gabriel acredita que se deve ao fato de se tratar do primeiro produto da marca direcionado à cultura brasileira. 

“Como é o primeiro filme da Apple feito no Brasil, existe uma certa novidade ao vermos no anúncio de uma grande multinacional elementos culturais tão locais. Acredito que isso tenha sido um dos fatores que mais tenha chamado atenção do público para esse vídeo”, explica. O animador utilizou Eu Quero Botar Meu Bloco na Rua, clássico de Sérgio Sampaio, gravado em 1973, que ganhou nova roupagem da banda BaianaSystem e da rapper Yzalú.

Ao longo de sua carreira, Gabriel já foi agraciado com prêmios internacionais, como o Leão de Ouro de Cannes, em 2015, por Guerra ao Drugo, na categoria Animação.

 

PROJETOS

Depois de 21 anos dedicados à animação, Gabriel retomou ao mundo da música em 2015, com a banda Silibrina. Atualmente, está em processo de criação do segundo disco do coletivo. Além disso, o pernambucano se dedica ao seu primeiro longa-metragem de animação. Este projeto, no entanto, ainda está em fase incipiente e ele acredita que só será finalizado daqui a três anos.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias