OLHO NO OSCAR

'Três Anúncios para um Crime' triunfa no SAG, termômetro do Oscar

A honraria do Sindicato de Atores dos Estados Unidos deu três prêmios para o filme de Martin McDonagh

Diogo Guedes
Diogo Guedes
Publicado em 22/01/2018 às 15:44
Divulgação
A honraria do Sindicato de Atores dos Estados Unidos deu três prêmios para o filme de Martin McDonagh - FOTO: Divulgação
Leitura:

A comédia de humor negro "Três anúncios para um crime" foi o principal ganhador da premiação do Sindicato de Atores dos Estados Unidos, os SAG Awards, considerada um termômetro para a festa do Oscar.

A produção de Martin McDonagh, que conta a história de uma mãe que tenta vingar o estupro e assassinato da filha, disputava em quatro categorias e ganhou em três, entre elas a de melhor atriz (Frances McDormand).

Já vencedora de um Globo de Ouro por este mesmo papel, McDormand pavimenta assim o caminho para o Oscar de melhor atriz, bem como Gary Oldman para o de melhor ator. O britânico conquistou o SAG por seu papel de Winston Churchill em "O destino de uma nação".

"Três anúncios para um crime" foi a produção mais premiada no Globo de Ouro, uma cerimônia muito famosa, mas que não serve de referência para o Oscar, enquanto os membros do Sindicato de Atores representam cerca de 1.200 dos aproximadamente 6.000 votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Sam Rockwell, que encarna um policial em "Três anúncios para um crime", venceu na categoria de melhor ator coadjuvante.

Enquanto centenas de milhares de pessoas nos Estados Unidos e na Europa se manifestaram neste fim de semana em apoio aos direitos das mulheres, Rockwell prestou homenagem ao movimento Time's Up, criado por 300 influentes personalidades femininas de Hollywood após o escândalo de Harvey Weinstein.

"A todas as mulheres nesta sala que tentam acertar as coisas: era necessário há muito tempo", ressaltou.

No palco do auditório Shrine, em Los Angeles, subiram apenas mulheres para entregar os prêmios, igualmente em apoio ao Time's Up, que pretende financiar a defesa das vítimas de agressões sexuais, e à campanha #MeToo, que milhares de mulheres anônimas aproveitaram para contar nas redes seus casos de estupro ou assédio.

Na televisão, o drama familiar e racial "This Is Us" venceu o SAG de melhor elenco e Sterling K. Brown, seu protagonista, de melhor ator dramático.

PRIVILÉGIOS DE HOMENS

Em geral, são "os negros que têm de saber como viver em um mundo branco, os homossexuais que devem saber como viver em um mundo de heterossexuais, assim, com o Time's Up, percebi que havia coisas que não tinha captado" sobre os "privilégios que beneficiam os homens", refletiu o ator, que já recebeu um Globo de Ouro e um Emmy por esse papel.

Nicole Kidman recebeu a estatueta de melhor atriz pela minissérie "Big Little Lies", na qual ela interpreta uma mulher vítima de violência sexista. Alexander Skarsgard, que interpreta seu marido violento, também foi recompensado.

"Isso é incrivelmente significativo, para mim, neste momento da minha carreira e com tudo o que está acontecendo em nossa indústria", disse a estrela australiana, que instou os financiadores e produtores dos estúdios a apoiarem projetos que contam histórias femininas.

Na televisão, "Veep", sobre uma mulher política incompetente e sem escrúpulos, levou o SAG de melhor comédia e o de melhor atriz de comédia para sua intérprete principal, Julia Louis-Dreyfus.

William H. Macy foi premiado pela série de comédia "Shameless". Perguntado sobre o movimento Time's Up, disse que "é um bom momento para ser uma mulher".

"Segurança no trabalho, acho que alcançamos, não voltará atrás, e a igualdade de salário virá em breve" em Hollywood, acrescentou.

As revelações de início de outubro sobre o produtor Harvey Weinstein, acusado por uma centena de mulheres de assédio e de agressão sexual, geraram um terremoto em Hollywood e além.

Personalidades do mundo do entretenimento e de outros setores foram acusados ??de comportamentos sexuais inapropriados, ou abusivos, como os atores Kevin Spacey, Jeffrey Tambor, Dustin Hoffman, Louis C.K. e o cineasta Brett Ratner.

A cerimônia do Oscar será realizada em 4 de março, no momento em que Hollywood se vê mergulhada no pior escândalo de assédio e abuso sexual de sua história.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias