Mudanças

Novos diretores que comandarão Disney Animation e Pixar são anunciados

Jennifer Lee e Pete Docter assumem os cargos no início de 2019

Agência Estado
Agência Estado
Publicado em 20/06/2018 às 18:55
Reprodução
Jennifer Lee e Pete Docter assumem os cargos no início de 2019 - FOTO: Reprodução
Leitura:

A Walt Disney Studios anunciou nesta terça-feira, 19, os substitutos de John Lasseter como diretores criativos na Disney Animation e na Pixar: Jennifer Lee, que escreveu e dirigiu "Frozen"; e Pete Docter, que dirigiu "Up" e "Divertida Mente". Os dois vão assumir os cargos no início de 2019, quando a saída de Lasseter será oficializada.

"Jennifer Lee e Pete Docter são dois dos cineastas mais talentosos que eu tive a oportunidade de trabalhar", disse Alan Horn, presidente da Walt Disney Studios, em comunicado obtido pelo site Deadline.

"Pete, a força criativa genial por trás de "Up", "Divertida Mente" e "Monstros S.A.", é uma parte integral da Pixar quase desde a fundação do estúdio e um dos responsáveis pelo seu sucesso. Jenn, que trouxe sua visão inovadora para Frozen, ajudou a criar uma emocionante nova perspectiva dentro da Disney Animation", continuou.

MUDANÇAS

Lee, que foi contratada pela Pixar em 2011, se torna uma das poucas mulheres à frente de um estúdio de Hollywood e se diz honrada em ocupar o cargo. "Os grandes filmes da Disney Animation - os que eu amei quando criança e que minha filha está crescendo amando - são mágicos, atemporais e cheios de amor, é o nosso objetivo criar novas produções que continuem esse legado de 95 anos para as próximas gerações", disse Jennifer no comunicado.

"Estou emocionado e honrado por ter sido convidado para ocupar esse cargo. Não é algo que eu encare como brincadeira: fazer filmes na Pixar é minha obsessão crônica desde o momento em que eu entrei no estúdio há 28 anos", falou Docter.

John Lasseter ocupava os dois cargos desde 2006, quando a Disney adquiriu a Pixar, e caiu em desgraça em novembro de 2017 após ex-funcionárias do estúdio o denunciarem por casos de assédio sexual. Ele tirou licença de seis meses dos seus cargos e havia anunciado sua saída em definitivo no início de junho de 2018.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias