Comédia

'Tudo Acaba em Festa' diverte com drama corporativo

Longa nacional protagonizado por Marcos Veras mostra os bastidores de uma 'confra da firma'

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 16/11/2018 às 17:00
Foto: Páprica Fotografia/Divulgação
Longa nacional protagonizado por Marcos Veras mostra os bastidores de uma 'confra da firma' - FOTO: Foto: Páprica Fotografia/Divulgação
Leitura:

O fim de ano se aproxima e, com ele, o famoso período de confraternizações. E quando a “confra” é da firma então, nem se fala nas milhares de histórias que podem envolver aquele momento. Mas é esse tipo de evento que se torna pano de fundo para o longa nacional Tudo Acaba em Festa, do diretor André Pellenz, que estreou nesta quinta-feira (15) em todo o País.

Protagonizado por Marcos Veras, o filme traz o ator como o acomodado Vlad, que decide organizar a festa de fim de ano da empresa de cosméticos Embelex para impressionar a ex-namorada Aline (Rosanne Mulholland) e de quebra, melhorar o clima entre os funcionários. Seria uma tarefa fácil se não fosse a resistência dos colegas, que só aceitam participar depois de falsas promessas.

O roteiro da comédia escrita pelo diretor André Pellenz e mais três pessoas tem seus momentos interessantes. Marcos Veras enquanto protagonista convence com seu Vlad, mas perde um pouco do brilho quando tentar encarnar Leon Carvalho, o seu irmão gêmeo. Na família de Vlad, ainda vemos Diogo Villela e Malu Valle fazendo pontas de luxo no longa.

No ambiente da Embelex – onde se passa a maior parte da história – também são bons trabalhos as interpretações de Rosanne, Maria Clara Gueiros vivendo a diretora de RH Cláudia Leite, Victor Leal (conhecido integrante do grupo de comédia Melhores do Mundo) e Giovanna Lancellotti, que diverte ao viver a estagiária caipira Priscilla Reis.

O longa ainda reúne nomes como Stepan Nercessian, Aramis Trindade e Nelson Freitas como o excêntrico patrão Takahari. No momento da grande festa, a participação de Amaury Jr. é quase uma cereja no bolo.

FESTA MEIA-BOCA

Enquanto o drama corporativo de Vlad chama mais atenção que sua vida pessoal, o longa de 90 minutos sai como uma comédia nacional bem executada, mas longe de ser um arrasa-quarteirão de público. E já que tudo acaba em festa, vale a pena conferir a história ao menos para aprender o que não fazer quando a próxima “confra da firma” for marcada.

Últimas notícias