Moonlight e La La Land são os melhores filmes segundo o Globo de Ouro

Filmes foram eleitos pelo júri nas categorias Melhor filme de drama e Melhor filme de comédia ou musical

Divulgação
Filmes foram eleitos pelo júri nas categorias Melhor filme de drama e Melhor filme de comédia ou musical - FOTO: Divulgação

Moonlight e La La Land: Cantando Estações, respectivamente, são os eleitos do Globo de Ouro 2017 nas categorias Melhor filme de drama e Melhor filme de comédia ou musical. O resultado foi anunciado durante a cerimônia promovida neste domingo (8/1), em Los Angeles (EUA), e apresentada por Jimmy Fallon.

La La Land: Cantando Estações, de Damien Chazelle, celebra os musicais. O filme recebeu sete indicações ao Globo de Ouro, entre elas as de melhor ator e atriz para os protagonistas Emma Stone e Ryan Gosling. A produção teve uma noite marcante, naquele estilo "varreu a premiação".

Se considerada apenas a questão das indicações, sobre o Globo de Ouro 2017 poderia ser dito algo como "a noite foi do filme La La Land". Mas fazer isso seria redutor. Por mais que prêmios atraiam a atenção das pessoas para determinadas obras e artistas, as cerimônias podem indicar algo mais sobre o momento cultural de uma sociedade.

Observando com atenção os discursos dos premiados na cerimônia, aqui e ali emergiam vozes destacando a importância da representatividade na arte (seja ela das diferentes etnias, das mulheres, etc.) ou revelando uma preocupação em relação ao futuro dos Estados Unidos.

Uma dessas vozes foi a da atriz Meryl Streep, com destaque. Ela protagonizou um dos momentos mais emocionantes da noite, ao receber uma homenagem com um prêmio Cecil B. DeMille por sua trajetória. Esse momento da premiação teve início com um longo texto apresentado pela também atriz Viola Davis e seguiu com um vídeo com cenas de diversos trabalhos de Meryl.

Ao subir ao palco, Meryl falou sobre as origens diversificadas do povo norte-americano, usando como exemplos alguns atores e atrizes presentes na cerimônia, opondo-se aos que acreditam em fechar as portas de um país para estrangeiros. No discurso da atriz também havia apontamentos sobre o papel dos artistas e dos jornalistas na construção de uma sociedade, ao expor certos acontecimentos, citando o episódio em que o presidente eleito dos Estados Unidos Donald Trump se referiu a um repórter com necessidades especiais.

"Isso partiu meu coração e eu não consegui me recuperar porque não era um filme, era a vida real. Esse instinto de humilhar quando vem de alguém em uma plataforma pública afeta a vida de todos, porque dá abertura para que outros façam o mesmo", comentou Meryl, em sua fala que foi também uma declaração de resistência.

Ao se despedir, ela citou uma frase da amiga Carrie Fisher: "Pegue o seu coração partido e transforme em arte". Carrie e Debbie Reynolds, filha e mãe que faleceram recentemente, também foram homenageadas ao longo da cerimônia com a exibição de um vídeo composto por cenas de ambas.

Com apenas breves pausas como essas na sequência de anúncios dos vencedores, a cerimônia do Globo de Ouro 2017 seguiu ágil, o que combina com o tom mais "informal" da premiação, para a qual os artistas são acomodados em mesas dispostas pelo salão de um hotel em Beverlly Hills.

Quando Moonlight foi anunciado o vencedor na categoria Melhor Filme de Drama, eram quase 1h da manhã no Brasil.O filme dirigido por Barry Jenkins acompanha a jornada de Chiron (Alex Hibbert/Ashton Sanders), que mora em uma comunidade pobre de uma Miami que via explodir o uso do crack.

Outro prêmio bastante celebrado pela audiência foi o de Melhor Atriz Coadjuvante concedido para Viola Davis, indicada pela quinta vez. Isabelle Huppert foi outra que se emocionou bastante ao agradecer pelo prêmio de Melhor Atriz de Drama por Elle (FRA), filme que ainda levou o troféu de Melhor Filme em Língua Estrangeira.

Se, entre as produções cinematográficas, La La Land concentrou muitos prêmios, na parte dedicada à televisão as coisas ficaram mais distribuídas. A estreante The Crown (Netflix), por exemplo, desbancou na categoria Melhor série de drama concorrentes de peso como a consolidada Game of Thrones (HBO) e as populares Stranger Things (Netflix) e Westworld (HBO). Vale dizer que This is Us não é tão conhecida como essas duas no Brasil, mas também vem chamando a atenção do público. Intérprete da Rainha Elizabeth na produção da Netflix, Claire Foy ficou com o troféu de Melhor Atriz na categoria (e lembrou da monarca em seu discurso).

Dramas como os premiados The People vs. O.J. Simpson: American Crime Story (FX) continuaram colecionando prêmios. Já The Night Manager começou a abrir seu espaço com os prêmios de Melhor Ator Coadjuvante (Hugh Laurie), Melhor Ator (Tom Hiddleston) e Melhor Atriz Coadjuvante (Olivia Colman). Quando às comédias, vale ficar de olho em Atlanta (FX), criada por Donald Glover, que subiu ao palco duas vezes, por também ter sido eleito como o Melhor Ator da categoria.

 

CINEMA

Melhor filme de drama
Até o Último Homem
A Qualquer Custo
Lion
Manchester à Beira Mar
Moonlight

Melhor filme de comédia ou musical
20th Century Women
Deadpool
La La Land: Cantando Estações
Florence: Quem é essa Mulher?
Sing Street

Melhor roteiro
Damien Chazelle (La La Land: Cantando estações)
Tom Ford (Animais Noturnos)
Barry Jenkins (Moonlight)
Kenneth Lonergan (Manchester à beira-mar)
Taylor Sheridan (A Qualquer Custo)

Melhor ator de drama
Casey Affleck (Manchester à Beira Mar)
Joel Edgerton (Loving)
Andrew Garfield (Até o Último Homem)
Viggo Mortenson (Capitão Fantástico)
Denzel Washington (Fences)

Melhor atriz de drama
Amy Adams (A Chegada)
Jessica Chastain (Miss Sloane)
Isabelle Huppert (Elle)
Ruth Negga (Loving)
Natalie Portman (Jackie)

Melhor ator de comédia ou musical
Colin Farrell (O Lagosta)
Ryan Gosling (La La Land: Cantando Estações)
Hugh Grant (Florence: Quem é esta mulher?)
Jonah Hill (Cães de Guerra)
Ryan Reynolds (Deadpool)

Melhor atriz de comédia ou musical
Annette Bening (20th Century Women)
Lily Collins (Rules Don't Apply)
Hailee Steinfeld (The Edge of Seventeen)
Emma Stone (La La Land: Cantando Estações)
Meryl Streep (Florence: Quem é esta mulher?)

Melhor ator coadjuvante
Mahershala Ali (Moonlight)
Jeff Bridges (A Qualquer Custo)
Simon Helberg (Florence: Quem é esta mulher?)
Dev Patel (Lion)
Aaron Taylor-Johnson (Animais Noturnos)

Melhor atriz coadjuvante
Viola Davis (Fences)
Naomie Harris (Moonlight)
Nicole Kidman (Lion)
Octavia Spencer (Estrelas Além do Tempo)
Michelle Williams (Manchester à Beira Mar)

Melhor diretor
Damien Chazelle (La La Land: Cantando Estações)
Tom Ford (Animais Noturnos)
Mel Gibson (Até o Último Homem)
Barry Jenkins (Moonlight)
Kenneth Lonergan (Manchester à Beira Mar)

Melhor filme estrangeiro
Divines (França)
Elle (França)
Neruda (Chile)
The Salesman (Irã/França)
Toni Erdmann (Alemanha)

Melhor animação
Kubo e as Cordas Mágicas
Moana: Um Mar de Aventuras
My Life as a Zucchini
Sing: Quem Canta seus Males Espanta
Zootopia

Melhor trilha sonora
Moonlight
La la land: Cantando estações
A chegada
Lion
Estrelas além do tempo

Melhor canção original
Can't stop the feeling (Trolls)
City of stars (La la land: Cantando estações)
Faith (Sing)
Gold (Gold)
How far I'll go (Moana)

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias