Força da terra, do céu e do coração marcam Onde Nascem os Fortes

Cenários da nova supersérie da TV Globo fizeram parte de um tour feito por jornalistas

João Miguel-TV Globo/Divulgação
Cenários da nova supersérie da TV Globo fizeram parte de um tour feito por jornalistas - FOTO: João Miguel-TV Globo/Divulgação

A TV Globo fugiu do protocolo de lançamentos dos seus produtos televisivos e resolveu surpreender cerca de trinta jornalistas com um tour pelos cenários da nova supersérie da emissora, Onde Nascem os Fortes, que estreia no próximo dia 23, às 23h. Na última terça-feira, a comitiva de profissionais de vários estados brasileiros, representando jornais, revistas e portais da internet, conheceu a zona rural da cidade de Cabaceiras, conhecida como a Hollywood Nordestina. É nessa região, no semi-árido paraibano, que Onde Nascem os Fortes vem sendo gravada desde outubro do ano passado, com a participação de mais de 150 profissionais, entre técnicos e atores (muitos da Paraíba, do Rio Grande do Norte e de Pernambuco).

Cabaceiras fica a 166km de João Pessoa. A maior atração da locação é o Lajedo de Pai Mateus, uma formação rochosa que atrai turistas de todo o Brasil. No entorno da pequena cidade já foram rodadas minisséries e filmes, como o Auto da Compadecida. Madame Satã, Romance, Cinema, Aspirinas e Urubus, Por Trás do Céu e vários outros. Além de Cabaceiras, a produção de Onde Nascem os Fortes foi gravada também em Boa Vista, onde fica a maior mina de bentonita da América Latina. Foi lá a primeira parada das vans que levavam os jornalistas. Assim que eles colocaram os pés no chão, foram recebidos pelos roteiristas, o pernambucano George Moura e o carioca Sergio Goldenberg, os autores da supersérie, em mais uma parceria (antes, escreveram O Canto da Sereia, Amores Roubados e o remake da novela O Rebu).

“Quando você achega aqui, você têm uma relação com a natureza que é completamente diferente: escuta o silêncio, e o tempo é outro também. Vocês vão ver lá no Lajedo de Pai Mateus, onde não internet, que ficam conectados de outra forma com a realidade. A maior motivação para contar essa história foi mostrar um sertão contemporâneo. Essa mina de bentonita, um minério não-ferroso resultante de lavas vulcânicas – o que prova a ancestralidade incrível dessa região –, vende para a Europa e os Estados Unidos”, explicou George Moura.

De acordo com o roteirista, Onde Nascem os Fortes tem sua história desenvolvida por três forças: a primeira é a força da terra, representada pelo dono da mina, o empresário Pedro Gouveia (Alexandre Nero), que acredita que a transformação da vida se dá através do trabalho; a segunda, é a força do céu, com a história de Samir (Irandhir Santos), fundador de uma comunidade religiosa que acredita no perdão; e a última é a força de uma coração em movimento, com a aventura de Maria (Alice Wegman) ao chegar à cidade de Sertão com o irmão Nonato (Marco Pigossi), que desaparece, ao mesmo tempo em que ela se apaixona por Hermano (Gabriel Leone). “É uma história que a gente quer dividir um pouquinho nessas horas que vocês estão aqui, vendo esse mundo que a gente está vivendo há mais de um ano e com um desejo muito grande de que ela emocione as pessoas”.

LOCAÇÕES

Da fábrica de bentonita, o tour seguiu para os lajedos de Cabeceiras, onde o grupo foi recepcionado por Ribamar Farias, o guia turístico mais antigo do Sertão do Cariri paraibano. “Vocês estão tendo a oportunidade ver um sertão rochoso, pedregoso, e de ver essa paisagem com chuva. Aqui o nível pluviométrico é baixíssimo, mas este ano está chovendo bastante, graças a Deus. A última chuva na região foi em 2010. Mas a gente estava sobrevivendo com o uso de cisternas e, agora, da transposição do Rio São Francisco. A vida melhorou muito. Esse lugar tem 18 mil hectares de formação rochosa, com inscrições rupestres em várias partes”.

Depois de subir a pé toda a extensão do Lajedo de Pai Mateus, o grupo de jornalistas foi recebido pelo diretor-artístico José Maria Villamarim, o outro vértice criativo de Onde Nascem os Fortes e dos trabalhos anteriores de George Moura e Sergio Goldenberg. O diretor conduziu os jornalistas para o interior de uma espécie de oca, onde o líder Samir recebe os seus seguidores. “Esse lugar demorou dois meses para ser construído. Você podem sentir com as mãos, é PVC, que também faz esse efeito de luz aqui dentro. Mais adiante temos um santuário e um altar. Ali atrás tem as cavernas onde eles moram, que faz a ligação com o estúdio. Eles entram nessa gruta e por meio de um portal vão para os estúdios em Jacarepaguá”, brinca o diretor.

No final do tour, à noite, os jornalistas se encontraram com grande parte da equipe de Onde Nascem os Fortes. Mais notícias nos próximos capítulos do JC+, na semana que antecede a estreia da supersérie.

O repórter viajou a convite da TV Globo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias