Morre, aos 77 anos, o jornalista Paulo Henrique Amorim

Ele morreu em casa, no Rio de Janeiro, após sofrer um infarto fulminante

Foto: Reprodução
Ele morreu em casa, no Rio de Janeiro, após sofrer um infarto fulminante - FOTO: Foto: Reprodução

Morreu, na madrugada desta quarta-feira (10), aos 77 anos, o jornalista Paulo Henrique Amorim. Ele morreu em casa, no Rio de Janeiro, após sofrer um infarto fulminante.

O jornalista deixa viúva a esposa Geórgia Pinheiro, além de uma filha.

Trajetória

Paulo Henrique atuava no jornalismo desde 1961, quando estreou no jornal A noite. Depois foi trabalhar em Nova York, como correspondente internacional da revista Realidade e, posteriormente, da revista Veja.

Atualmente, Paulo Henrique Amorim escrevia para diversos jornais e revistas do país, além de ser proprietário do blog 'Conversa Afiada'. O jornalista também trabalhava na RecordTV, onde chegou em 2003, mas estava fora do ar desde junho deste, quando foi afastado do programa Domingo Espetacular.

Na televisão, Amorim trabalhou na extinta TV Manchete e passou também pela Rede Globo, onde foi correspondente internacional nos Estados Unidos. Foi em sua passagem pela Globo que Amorim passou a usar a expressão "olá, tudo bem?" como bordão. Em 1996, foi para a TV Bandeirantes, lá ele apresentou o Jornal da Band, principal telejornal da emissora.

Em 2003, foi contratado pela Record, onde apresentou o Jornal da Record. Na emissora, Amorim ajudou a criar a revista eletrônica Tudo a Ver e depois assumiu a apresentação do Domingo Espetacular.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias