ROMANCE

Os 30 anos da trajetória literária de Paulo Caldas

Escritor pernambucano comemora eferméride com o lançamento do livro Porto dos amantes

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 26/09/2012 às 6:45
Leitura:

Da literatura infantil com animais como protagonistas até a discussão da repressão social da sexualidade. A trajetória literária do escritor pernambucano Paulo Caldas é um caminho da descoberta da própria voz autoral. Para celebrar os 30 anos de carreia, o autor lança quarta (26/9), junto com outros autores, seu novo romance, intitulado Porto dos amantes, editado pela Bagaço.

A estreia de Paulo nos livros foi em setembro de 1982, quando passou a fazer obras infantis, mais preocupadas com temáticas morais. “Eu escrevia ainda por impulso, pelo que sentia que devia escrever”, conta o autor.

Foi em 2001, quando frequentou pela primeira vez a oficina literária do escritor Raimundo Carrero que sentiu que abandonou a escrita pela impulso e passou a realizar um trabalho de maior esmero literário. “Agora, até sofro mais para escrever – nunca acho que o que faço está bom o suficiente”, afirma Paulo Caldas.

Porto dos amantes faz parte de seu tema literário mais recente, o combate aos preconceitos. Depois de abordar o racismo, agora ele fala, a partir de quatro personagens distintos, sobre a homofobia e a sexualidade. Passado durante a ditadura, o livro traz um professor universitário que se descobre homossexual na prisão, uma tradutora no exílio que experimenta seu lesbianismo e um estranho caso de amor entre um motorista de táxi bissexual e uma garota de programa. A narrativa deslancha a partir do encontro de todos eles. “Minha intenção é contar a história deles a partir de uma prosa poética”, revela o autor.

Leia mais no Jornal do Commercio desta quarta (26/9).

Últimas notícias