PREMIADO

Bob Dylan permanece em silêncio sobre Nobel de Literatura

No dia em que foi anunciada a láurea, ele fez uma apresentação em Las Vegas

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 14/10/2016 às 16:05
Divulgação
No dia em que foi anunciada a láurea, ele fez uma apresentação em Las Vegas - FOTO: Divulgação
Leitura:

Bob Dylan é um sujeito difícil de se falar. E até a Academia sueca, que concedeu ao músico o Nobel de Literatura nesta quinta-feira (13/10), tem encontrado dificuldade em entrar em contato com o laureado. 

De acordo com a agência de notícias France Presse, 24 horas depois de anunciar o prêmio para Dylan, a instituição foi incapaz de conversar com o premiado em si. "A Academia entrou em contato com o agente de Dylan e com o diretor de sua turnê", explicou Odd Zschiedrich, chanceler da instituição. 

Dylan permanece em silêncio. Na noite de quinta, o músico fez uma apresentação em Las Vegas e, como de costume, pouco falou com o público que ali estava, segundo informou a agência de notícias. Nada de comentar o Nobel também. 

Já o jornal Washington Post, diante do silêncio de Dylan, entrevistou pessoas ligadas ao artista. Segundo as informações publicadas, o músico também não comentou com amigos a premiação. Bob Neuwirth, amigo de Dylan e músico, disse ao Washington Post que Dylan "inclusive poderia não agradecer" a homenagem.

A Academia sueca busca por Dylan para convidá-lo a ir a Estocolmo no dia 10 de dezembro para receber o prêmio do próprio rei da Suécia e participar de um jantar de gala - e discursar para os presentes. Ainda não há informações sobre a intenção de Dylan em comparecer ao evento. 

PRÊMIO REJEITADO

A France Presse ainda lembra que, em 1964, o filósofo francês Jean-Paul Sartre rejeitou o Nobel de Literatura. E, com isso, rejeitou o prêmio de 273 mil coroas suecas (R$ 99 mil). Atualmente, o prêmio é de 8 milhões de coroas suecas, algo em torno de R$ 2,9 milhões.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias