Sinfônica

Músicos da Orquestra Sinfônica pressionam Prefeitura do Recife

Secretário de Cultura diz estar aberto a negociações

AD Luna
AD Luna
Publicado em 07/03/2012 às 6:01
Leitura:

“Foi um primeiro passo”. É assim que um dos integrantes da Orquestra Sinfônica do Recife (OSR) João Carlos (do Cello) enxerga o resultado da votação da Câmara dos Vereadores que aprovou em primeira votação projeto de lei apresentado pelo vereador Rogério de Lucca, que cria o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos músicos da entidade. A ponderação do violoncelista vem a calhar, pois, o projeto ainda precisa passar por uma segunda discussão no legislativo e pelas mãos do prefeito João da Costa.

“O projeto foi baseado na Orquestra Sinfônica de Natal, que é uma das melhores do Nordeste na atualidade”, expõe o violinista potiguar Elyr Alves, que também toca na Sinfônica do Recife. O instrumentista diz acreditar que os salários da OSR são muito baixos e as condições de trabalho deixam muito a desejar. “A prefeitura parece não ter consciência da importância de uma orquestra sinfônica para a capital”, complementa João do Cello.

O secretário de Cultura do Recife, Renato Lins, rebateu as críticas dos músicos sobre o suposto descaso do poder público em relação à Orquestra Sinfônica. "No início da próxima semana pretendemos reabrir as conversas para tratar de uma Plano de Cargos e Salários para todos os músicos da prefeitura. Ou seja, tanto os da Orquestra Sinfônica quanto os da Banda Sinfônica”, informou.

Leia a matéria completa no Caderno C desta quarta (7).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias