Música clássica

Orquestra Sinfônica do Recife inicia temporada em meio a dificuldades

Concertos começam hoje no Teatro de Santa Isabel

AD Luna
AD Luna
Publicado em 10/04/2013 às 6:07
Foto: Priscila Buhr/JC Imagem
Concertos começam hoje no Teatro de Santa Isabel - FOTO: Foto: Priscila Buhr/JC Imagem
Leitura:

Em meio a dificuldades estruturais e à insatisfação causada pela falta de melhores condições de trabalho, a Orquestra Sinfônica do Recife (OSR), comandada há 13 anos pelo maestro Osman Gioia, inicia hoje a temporada de 2013. Batizadas de Concertos noturnos, as apresentações acontecem duas vezes por mês, em quartas-feiras alternadas, no Teatro de Santa Isabel, às 20h. A entrada é gratuita.

A apresentação de hoje será focada em obras de Mozart. Na primeira parte, executa-se a abertura da ópera O rapto do serralho, composição de fins do século dezoito. Em seguida, a Orquestra executa a peça Sinfonia concertante para violino e viola. Criação que, segundo Gioia, exige boa dose de virtuosismo dos instrumentistas.

O concerto terá as participações especiais dos solistas Emmanuel Carvalho, da própria OSR; e do violista convidado Sávio Santoro, que é professor da Universidade Federal de Pernambuco.

De acordo com o maestro, esta série é a mais nobre atividade artística da Orquestra Sinfônica. “É na série Concertos noturnos que a Orquestra mostra todo o seu potencial, toca no teatro, seu habitat natural, e com toda a pompa. Para essas apresentações, selecionamos grandes obras do repertório erudito tradicional: clássico, romântico, contemporâneo, com composições internacionais e nacionais”. Em quase todos os concertos deste ano, a Sinfônica convidará solistas e até regentes de outras orquestras e Estados para tornar as apresentações ainda mais atraentes.

Segundo Osman Gioia, quando foi convidado a assumir o comando da Orquestra Sinfônica do Recife, na primeira gestão do prefeito João Paulo, a situação era bem mais problemática do que atualmente. “Quando entrei aqui, havia quase 20 anos que não se tocavam óperas. Fizemos balé, gravamos CDs que até ganharam prêmios, como o Sivuca sinfônico (Biscoito Fino, 2006)”, relembra.

Outro ponto que ele destaca é a capacidade da Sinfônica em transitar por repertórios clássicos e populares. Além de compositores como Schubert, Brahms, Bach, Heitor Villa-Lobos, a OSR já realizou concertos com obras de Luiz Gonzaga, Chico Science & Nação Zumbi, Beatles e Pink Floyd. “Estamos conseguindo levar o trabalho adiante mesmo com as dificuldades que temos tido. Espero que melhorem”, ressalta.

Osman diz que vem conversando com a nova administração da prefeitura a fim de dar jeito nos diversos inconvenientes pelos quais a OSR tem passado. Entre alguns deles, o regente cita desde problemas na estrutura física do escritório da orquestra, a falta de instrumentos e até a falta de melhores condições de trabalho para os instrumentistas.

“No último concurso que abrimos, em 2002, não conseguimos completar o nosso quadro – que é de 109 vagas. É um dos maiores (do País), comparado até a Osesp (Orquestra Sinfônica de São Paulo). Mas, dado o tamanho do Teatro, é até um exagero. Poderia ser um pouco menor, com 85, 90 músicos. Mas mesmo assim falta gente qualificada”, informa.

A maior carência da Orquestra Sinfônica do Recife está no naipe de violinos, que precisa de mais 14 instrumentistas. De sopros e percussão, o conjunto está relativamente completo. O diretor de produção artística da OSR, Múcio Callou, que está há 16 anos no cargo, reforça as queixas de Osman Gioia. Ele diz que há cerca de 30 anos não são feitos grandes investimentos na orquestra.

As remunerações ainda estão aquém do ideal – o que explica em boa medida a fuga de músicos para outras orquestras e atividades. “O ideal é que, junto com um novo concurso, fosse implantado um Plano de Cargos e Salários”. Para Callou, enquanto a primeira providência não sai, a segunda deveria ser agilizada.
Programação Concertos Noturnos 2013

·         Dia 10 de Abril: 1º Festival Mozart

o   Abertura da Ópera  “O Rapto do Serralho” (5:37)

o   Sinfonia Concertante para Violino e Viola (31:22)

§  Solistas: Sávio Santoro (Viola) e Emmanuel Wilson de Carvalho (Violino)

o   Sinfonia Nº 40 (26:51)

·         Dia 24 de Abril:

o   Bach Abertura Nº 1 (25:40)

o   Telemann Concerto para 2 Trompetes (11:34)

§  Solistas: Enok Francisco das Chagas & José Wilson Mota Pimentel

o   Schubert Sinfonia Nº 5 (24:42)

_____________________________________________________________________________________

·         Dia 15 de Maio:

o   Carlos Gomes Abertura da Ópera “Fosca” (6:30)

o   Respighi Arias e Danças Antigas Suite Nº3 (18:00)

o   Beethoven Sinfonia Nº 1 (25:00)

·         Dia 29 de Maio:

o   Rossini Abertura da Ópera “O Barbeiro de Sevilha” (7:30)

o   Weber Andante e Rondo Ungarese para Fagote (10:00)

§  Solista: Péricles Johnson dos Anjos (Fagote)

o   Milhaud Saudades do Brasil (40:00)

_____________________________________________________________________________________

·         Dia 12 de Junho:

o   Nielsen Concerto para Clarineta (25:29)

§  Solista: Jônatas Zacarias de Oliveira (Clarineta)

o   Haydn Sinfonia Nº 104 (28:57)

_____________________________________________________________________________________

·         Dia 10 de Julho:

o   Bruch Concerto para Clarineta e Viola (26:23)

§  Isaías Rafael da Silva (Clarineta) e Josildo Caetano dos Santos (Viola)

o   Bizet Sinfonia Nº 1 (34:28)

·         Dia 30 de Julho: Aniversário  da OSR

200 anos de nascimento de Richard Wagner

200 anos de nascimento de Giuseppe Verdi

100 anos de nascimento de  Benjamin Britten

200 anos de estreia da  Sinfonia Nº7 de Beethoven

o   Wagner – Marcha Festiva da Ópera “Tannhäuser” (6:00)

o   Verdi Prelúdio da da Ópera “La Traviata” (04:00)

o   Britten Simple Symphony (20:00)

o   Beethoven Sinfonia Nº 7 (34:00)

_____________________________________________________________________________________

·         Dia 14 de Agosto:

o   Brahms Concerto Duplo para Violino e Violoncelo (33:00)

§  Solistas: Leo Bruno Guedes da Silva (Violoncelo) e Gilson Cornélio (Violino)

o   Schumann Sinfonia Nº 4 (30:00)

·         Dia 28 de Agosto:

o   Beethoven Romance em Fa (09:00)

o   Saint-Säens Introdução e  Rondo Capriccioso (10:00)

§  Solista: Marie Savine Egan (Violino)

o   Mendelssohn Sinfonia Nº 3 “Escocesa” (36:00)

_____________________________________________________________________________________

·         Dia 11 de Setembro: 2º Festival Mozart

o   Abertura da Ópera “A Flauta Mágica” (07:12)

o   Concerto para Violino em La (28:10)

§  Solista: Emmanuel Wilson de Carvalho (Violino)

o   Sinfonia nº 29 (21:23)

·         Dia 25 de Setembro:

o   Mendelssohn Concerto para Violino (22:00)

§  Solista: Fernanda  Lúcia Acioli Furtado (Violino)

o   Dvorak Sinfonia Nº 8 (38:00)

_____________________________________________________________________________________

·         Dia 9 de Outubro:

o   Sarasate Arias Ciganas (09:00)

o   Massenet Meditação da Ópera “Thaís” (05:00)

§  Solista: Marx Rodrigues de Almeida Queiroz (Violino)

o   Sibelius Sinfonia Nº2 (45:00)

·         Dia 23 de Outubro:

o   Weber Abertura da Ópera ¨Oberon¨ (10:00)

o   Manoel Alves do Nascimento Concerto para Trombone Baixo (15:00)

§  Solista: João Evangelista (Trombone Baixo)

o   Stravinsky “Pulcinella” Suite (32:00)

_____________________________________________________________________________________

·         Dia 6 de Novembro:

o   Villa-Lobos Bachianas Nº 9 (10:00)

o   Koussevitz Concerto para Contrabaixo (17:0)

§  Solista: Lídio Roque da Silva

o   Dvorak Serenata para Sopros (25:00)

·         Dia 20 de Novembro:

o   Bartók Concerto para Viola (24:00))

§  Solista: Sávio Santoro (Viola)

o   Nepomuceno Sinfonia (33:00)

_____________________________________________________________________________________

·         Dia 4 de Dezembro:

o   Brückner Sinfonia Nº 4 (71:19)

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias