Luto

Morre aos 90 anos Inezita Barroso

Ele apresentava desde 1980 o programa "Viola, Minha Viola", na TV Cultura

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 09/03/2015 às 0:22
Foto:  Marcos Santos / USP Imagens
Ele apresentava desde 1980 o programa "Viola, Minha Viola", na TV Cultura - FOTO: Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Leitura:

A cantora, instrumentista e apresentadora Inezita Barroso faleceu, na noite deste domingo, aos 90 anos, completados no último dia 4. A artista estava internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Inezita Barroso era considerada uma das principais vozes da música caipira nacional e apresentava há quase 35 anos o programa "Viola, Minha Viola", exibido semanalmente pela TV Cultura, desde 1980.

A emissora foi a primeira a divulgar a notícia, pouco depois das 23h20. Segundo a jornalista Sonia Abrão, o velório será nesta segunda, na Assembleia Legislativa de São Paulo. A cantora estava internada desde sexta-feira (5), com suspeita de infecção urinária. Em dezembro, Inezita fora internada após cair em casa de Campos do Jordão, interior paulista, quando machucou as costas. Desde então, ela estava afastada do programa.

Inezita também fez carreira como atriz e produtora no rádio, cinema e teatro. Era membro da Academia Paulista de Letras e doutora honoris causa em Folclore Brasileiro.

Seu nome de batismo era Ignez Magdalena Aranha de Lima. Tornou-se Barroso ao casar com o advogado Adolfo Cabral Barroso. Estudou piano e Bilbioteconomia, mas optou pela carreira como cantora. Tinha mais de 50 anos de carreira e 80 discos. Entre suas gravações mais conhecidas estão Moda da Pinga, de Ochelsis Laureano e Raul Torres, além de Marvada Pinga, Ismália e Lampião de Gás. Atuou nos filmes Ângela (1951), O Craque (1953), Destino em Apuros (1953), É Proibido Beijar (1954), Mulher de Verdade (1954), Carnaval em Lá Maior (1955), O Preço da Vitória (1956), Isto é São Paulo (1970) e Desejo Violento (1978). Ela era considerada uma das principais vozes da música caipira nacional e deixa uma filha, Marta, três netas e cinco bisnetos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias