ADEUS

Falecimento do guitarrista Ivinho, da banda Ave Sangria, repercute no Facebook

Amigos e admiradores lamentam em suas postagens a morte do icônico músico, falecido na noite desta sexta-feira (12)

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 13/06/2015 às 16:56
Reprodução/Facebook
FOTO: Reprodução/Facebook
Leitura:

Muitos artistas, sobretudo os músicos que dividiram palco com o guitarrista Ivinho, fizeram homenagens através de postagens neste sábado (13) nas suas páginas pessoais do Facebook. O guitar hero Ivson Wanderley Pessoa faleceu nesta madrugada, aos 62 anos, no Hospital Otávio de Freitas, no Sancho, em decorrências de complicações no fígado, causadas pela cirrose. O sepultamento está marcado para acontecer neste domingo (14), às 11h, no Cemitério de Casa Amarela. O artista deixa duas filhas.

Embora muito emocionado com a perda, o baixista Almir de Oliveira, amigo de Ivinho desde os tempos da vizinhança na Vila dos Comerciários, na Tamarineira, em 1969, tem sido atencioso com os fãs, amigos e jornalistas através da rede social. "Éramos amigos de infância aqui na Vila dos Comerciários, nossa Tamarineira Village. Tocamos juntos baile e no Ave. Voltamos ano passado e foi grande felicidade, voltar com ele, Paulo, Marco Polo, Zé da Flauta. Agora ele partiu nessa revoada solitária, rumo a seara espiritual", disse à reportagem do Jornal do Commercio.

 

"Fica faltando ele com sua guitarra. É doloroso este momento para mim", continua. De acordo com Almir, o enterro está marcado para acontecer às 11h deste domingo (14), no Cemitério de Casa Amarela.   "Sinay, irmão dele, sugeriu que fôssemos com camisa do Ave Sangria como modo de homenageá-lo. Eu irei. Quanto a velório, ainda não sei como vai ser."

O cantor Marco Polo, principal vocalista e compositor do Ave Sangria, havia se encontado com Ivinho dias antes da última internação do guitarrista. "Ele ficou feliz em saber que receberia o seu cachê, mesmo sem poder tocar", disse Marco Polo, que sabia da gravidade da doença de Ivinho desde o internamento de abril, quando o guitarrista não pode participar do show no Abril Pro Rock. "Mesmo doente, Ivinho não perdeu o alto astral".

 

 

 

Confira as postagens de despedida no Facebook:


Reprodução/Facebook
Anjo Gabriel - Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Rogerio Rogerman, do Bonsucesso Samba Clube - Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Junior do Jarro, baterista da formação atual do Ave Sangria - Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Almir de Oliveira, baixista do Ave Sangria - Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Fábio Trummer, vocalista e guitarrista da banda Eddie - Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Zé da Flauta, integrante do Ave Sangria - Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Juliano Holanda, cantor, instrumentista e compositor - Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Lia Menezes, produtora e artista plástica - Reprodução/Facebook

Ivinho se tornou músico aos 14 anos, incentivado pela mãe, que lhe presenteou com uma guitarra. Morador da Vila dos Comerciários, na Tamarineira, em 1969, tocava no grupo Os Selvagens, com o baixista Almir de Oliveira, do Ave Sangria. Os dois, mais Agrício Noya,Bira Total, Israel Semente e Paulo Rafael formaram o Tamarineira Village, em 1972. Em 1973, depois da feira de música de Fazenda Nova, o cantor e compositor Marco Polo entrou no grupo, que se tornou o Ave Sangria, e gravou , em 1974, o primeiro LP pela Continental. O disco seria proibido pela censura, e a banda terminaria no final daquele ano.

Ivinho integrou, em seguida, o grupo de Alceu Valença, com o qual gravou dois discos. Depois da participação no festival de Montreux, o guitarrista tocou com vários nomes então badalados da MPB, em palcos e estúdio. Acabou voltando ao Recife no começo dos anos 80. Em 1988, dividiu com o irmão Sinay Pessoa, o LP independente Caçador de frutas. Ivinho voltaria a gravar no coletivo A turma do beco do barato (2009) que reuniu músicos do chamado udigrudi pernambucano, e tocava em eventuais reuniões do Ave Sangria.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias