disco

Noel e Liam Gallagher empatam na briga do britpop

Os irmãos e desafetos lançam seus melhores discos depois do Oasis

José Teles
José Teles
Publicado em 08/12/2017 às 19:34
foto: divulgação
Os irmãos e desafetos lançam seus melhores discos depois do Oasis - FOTO: foto: divulgação
Leitura:

Os irmãos e rivais Noel e Liam Gallagher botam mais lenha no confronto de egos que já levou até a processo. O Oasis acabou devido às querelas dos irmãos, o que levou Noel a sair do grupo, e formar o High Flying Birds, que estreou em disco em 2011. Em novembro passado, quase simultaneamente, eles lançam discos de inéditas. Noel, e a banda High Flying Birds, com Who Built the Moon? Liam com o solo As You Were.

 Os egos foram inflando assim que surgiram, no início dos anos 90, com a Oasis, banda que, se acreditava, finalmente preencheria o vácuo deixado pelos Beatles 20 anos antes. Não preencheram, mas até hoje, mesmo solo, continuam tentando.

 NOEL

 Noel Gallagher sai ganhando, graças ao produtor e DJ David Holmes, dono de uma elogiada discografia própria e consagrado autor de trilhas sonoras. Em vez de administrar a procura de Noel pela sonoridade Beatle perdida, o produtor faz do disco um caleidoscópio das mais diversas tendências do pop-rock, de bandas contemporâneas da Oasis, ecos de muita coisa permeiam o álbum. Na faixa Holy Mountain, um rock básico, tem alguma coisa do velho Rolling Stone, Stone Roses, Primal Scream, e aquele corinho “uhuhuhuh/huhuhuu” que os Beatles pegaram dos Beach Boys. O refrão é daqueles contagiosos, pra plateia cantar junto.

 Está certo que Noel Gallagher, em Be Careful What You Wish For, se aproxima demais de Come Together, de John Lennon, um das canções mais elogiadas e regravadas de Abbey Road. A canção de Noel é praticamente um remake de Come Together que, por sua vez, foi um plágio “inconsciente” de Lennon, de You Can’t Catch Me, de Chuck Berry. Pelo visto, na Inglaterra,às vezes, música também é feito passarinho (quando se podia apanhá-los), é de quem pegar primeiro.

 O álbum de Noel Gallagher com os High Flying Birds ampara-se numa espessa parede de som, mas não a monótona parede de Phil Spector, a deste álbum é em alto-relevo, ela se amplia por todo repertório, porém com muitas nuances. Assim é que sem recorrer tanto aos seus ídolos de Liverpool, Noel se aproxima dele pela riqueza dos arranjos, que tornavam músicas chinfrins em clássicos. Fort Knox, que abre o disco, não é o tipo de música que se associe com ele. É uma vinheta longa, influenciada por Kanye West.

 O disco tem uma dinâmica mais arrojada do que os trabalhos solo de Noel, e do próprio Oasis. Keep on Reaching, além da parede sonora, tem um muro vocal, soa grandiosa como Live and Let Die, de Paul McCartney. Em algumas canções o paredão mais atrapalha. Em Black & White Sunshine, a boa melodia fica prejudicada pelo arranjo, pedia algo mais simples, que enfatizasse a canção. Afinal, a arquitetura da música de Noel Gallagher é a dos anos 60, a base de quase todo grupo do britpop.

 O álbum tem dois instrumentais, interlúdios, Wednesday, partes 1 e 2, não acrescentam nada ao disco. A primeira tem este título porque foi gravada numa quarta-feira. A segunda tem também o título End Credits, porque na concepção de Noel Gallagher, o disco termina na faixa que dá nome ao disco, o End Credits é a música que toca no final do filme, quando sobem os créditos. Independente disto, Who Built the Moon? é o melhor dos quatro trabalhos solo de Noel Gallagher.

 LIAM

As You Were é o primeiro disco solo de Liam Gallagher. Pelo que se escuta nele, o Oasis morreu para Noel, mas o irmão ingrato continua vivo na música. Liam ainda corre atrás do sonho Beatle. For What It’s Worth abre exatamente igual a How Do You Sleep? a diatribe de John Lennon contra Paul McCartney, do álbum Imagine (1971). A canção é colorida por um quarteto de cordas. When I’m in Need é uma das mais Beatles do álbum, ou melhor, ele lembra muito mais as bandas dos anos 60, feito a Badfinger, que iam na cola dos Beatles.

 O primeiro álbum solo de Liam Gallagher poderia ser creditado a Oasis, já que é dele a voz que se identifica com o ex-grupo. Curiosamente, You Better Run lembra Faith Healer da escocesa Sensational Alex Harvey Band, um cult da era do glitter. As canções, no entanto, seguem uma fórmula na estrutura, algumas são bem assemelhadas.

 Mas, inegavelmente, o mais brigão dos Gallagher continua a fazer rock and roll, mesmo quando incursiona pela psicodelia à Sgt. Pepper’s na faixa China Town. As melhores faixas do álbum são as que poderiam estar num disco da Oasis, feito Come Back To Me. As You Were é infinitamente superior aos discos que Liam Gallagher fez Beady Eye, a banda que formou depois da debandada da Oasis oito anos atrás.

 A sonoridade é bem mais diversificada do que a da ex-banda (a Oasis). A edição de luxo traz uma trinca de faixas, I never Wanna Be Like You (Nunca quis ser igual a você), pode ser dirigida ao irmão Noel, a quem ele, mais ou menos, pede desculpas pelas turras na faixa For What It’s Worth. Quanto à “briga” dos discos lançados na mesma época, o resultado é um empate.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias