Entrevista

Joelma canta em boate LGBT do Recife e afirma não ter preconceito

Evangélica, artista já fez declarações contra o casamento entre pessoas do mesmo gênero

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 09/03/2018 às 14:03
Deyvison Nunes/JC Imagem
Evangélica, artista já fez declarações contra o casamento entre pessoas do mesmo gênero - FOTO: Deyvison Nunes/JC Imagem
Leitura:

Joelma é um símbolo para alguns LGBTs, mas mantém um relacionamento, no mínimo, complicado com a comunidade. Isso porque ela, que tornou-se evangélica, já se posicionou contra o casamento entre pessoas do mesmo gênero e chegou a afirmar em uma polêmica entrevista à revista Época, em 2013, que se tivesse um filho LGBT, faria de tudo para “tratá-lo”. Cinco anos após as polêmicas declarações, ela busca se aproximar do movimento e se apresenta, hoje, pela primeira vez, no clube Metrópole, referência para os homoafetivos no Recife.

Na entrada da boate, ontem, no final da tarde, local de sua coletiva de imprensa com Joelma, um punhado de fãs aguardava ansiosamente a chegada da paraense. Ao chegar, ainda que apressada, Joelma fez questão de tirar fotos e abraçar. Sorridente e solícita, procurava atender a todos e reforçava como estava feliz com o bom momento na carreira.

O clima de amenidade foi quebrado pouco depois do início da coletiva, quando surgiu pela primeira vez um questionamento sobre a relação de Joelma com a comunidade LGBT.

“Nunca fui contra [LGBTS]. Meu melhor amigo é gay, para quem eu consigo falar todas as coisas. Eu sou evangélica, todo mundo sabe disso, e meu público, a maioria, é gay, e isso não interfere em nada. Você tem que respeitar e amar o seu próximo. Agora a relação com Deus é de cada um e ninguém tem que se meter. Eu não considero uma pessoa cristã quem agride o próximo com palavras e preconceito”, afirmou.

Quando questionada novamente sua oposição às conquistas de direitos igualitários, como o casamento civil, ela titubeou e falou muito sobre a necessidade de se respeitar a opinião alheia, sem, no entanto, deixar claro se sua opinião sobre o assunto tinha mudado.

“Cada um é um. Eu não me meto na sua vida e você não se mete na minha. A gente tem que se amar e se respeitar. Se todo mundo fizer isso, a gente vai viver em um mundo maravilhoso. Eu faço o que eu quero, aí você não vai chegar em mim e dizer que eu tenho que viver assim, assim ou assim. Quem manda na minha vida sou eu. Ou eu aceito ou eu não aceito”, afirmou, visivelmente incomodada, recebendo o apoio de alguns fãs, que gritaram “É isso aí, Jo”.

NOVA MÚSICA

Ontem, Dia Internacional da Mulher, Joelma revelou sua nova música de trabalho, Perdeu a Razão, uma parceria com a cantora sertaneja goiana Marília Mendonça. A canção fala sobre violência doméstica e a cantora revelou que gravar a faixa foi um processo difícil, mas catártico.

“Essa música conta um pouco da minha história. Não foi uma música que eu escolhi, ela veio até mim. No início, não queria gravar, mas peço a direção de Deus e faço de uma forma que dá sempre certo. Quando fui ensaiar a música antes de gravar, chegava no refrão e eu chorava. Eu lembrava da minha infância, de uma cena que nunca esqueço, que era do meu pai batendo na minha mãe”, contou.

Joelma disse ainda que sua mãe foi uma grande inspiração na sua vida. A paraense conta que passou anos sem ver seu pai, que foi embora de casa quando ela tinha oito anos, só se reconciliando com ele recentemente.

“Quando meu pai foi embora, disse que foi a única coisa boa que ele fez por mim. Diante de todo o sofrimento da minha mãe, ela não desistiu, se levantou para trabalhar, então foi uma inspiração muito grande para todas as áreas da minha vida. Diante de qualquer problema, se eu não posso andar, me arrasto, mas eu vou”, afirmou.

Joelma disse que até hoje nunca viu seu pai, mas que hoje consegue falar com ele pelo telefone. Ela atribui à nova música a possibilidade de expurgar sentimentos negativos em relação ao genitor. “Pedi perdão a ele porque eu tinha um sentimento muito ruim em relação a ele. Eu odiava meu pai. Eu aprendi que você guardar coisas ruins dentro de você, é muito ruim. Perdoar não é fácil, mas eu escolho, porque eu quero ser feliz de verdade”, confessou.

Feliz no amor – está namorando Alessandro, de 38 anos, após ter se separado, em 2015, de Ximbinha – ela avisou que não vai lançar disco em breve, mas que já prepara um EP que terá quatro músicas, entre elas a com Marília Mendonça.

“Música é uma coisa muito especial, é como se fosse parte do seu corpo. Tem que ter muito de você. Se não for assim, não consigo fazer. Vou fazer um EP porque, com o disco, a gente gravava 15 músicas, mas só podia trabalhar quatro. Então se perdia muito material bom. Além disso, hoje a música não pode vir sozinha, tem que ter clipe, então um EP é ideal”, afirmou.

Sobre o futuro, Joelma diz que está com a agenda cheia de participações na televisão para promover Perdeu a Razão e que ainda este mês entra em estúdio para gravar nova música.

“Meu sonho quando comecei a carreira de cantora na banda Calypso, era vender 10 mil cópias e a gente chegou a 17 milhões. Sempre acreditei que a gente não precisa de muitas coisas, só da simplicidade”, enfatizou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias