Grande cantora

Alcione, a Marrom, comemora 45 anos de carreira no Recife

Maranhense se apresenta dois dias no Manhattan trazendo repertório do novo show, cheia de energia e fome de palco

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 13/04/2018 às 5:00
Foto: Elizeu Fiuza/Divulgação
Maranhense se apresenta dois dias no Manhattan trazendo repertório do novo show, cheia de energia e fome de palco - FOTO: Foto: Elizeu Fiuza/Divulgação
Leitura:

Para um bom brasileiro que se preze, marrom é muito mais que um tom da enorme paleta de cores que existe por aí. E se esse substantivo, até então comum, precede do artigo definido “a”, ela ganha vida e força próprias. Afinal, a Marrom se torna sinônimo da talentosa cantora do Maranhão, nascida como Alcione Dias Nazareth. A artista, no auge de seus 70 anos, chega hoje ao Recife para comemorar com o público pernambucano 45 anos de carreira com o show Eu Sou a Marrom, no Manhattan Café Theatro, em Boa Viagem, Zona Sul da cidade, nesta sexta-feira (13) e sábado (14).

Rotular Alcione exclusivamente como sambista é quase um disparate. “Não sou ‘apenas’ uma cantora de samba. Canto música popular brasileira e, com muito orgulho, sou uma amante do samba. Afinal, é um dos nossos ‘cartões de visitas’ mais emblemáticos”, explica a artista, em entrevista ao Jornal do Commercio.

E é essa diversidade musical que a cantora traz neste novo show, fazendo parte de uma série de comemorações destes 45 anos de trajetória. “No show, canto os maiores hits de minha carreira. Alguns, inclusive, que não estavam no repertório de espetáculos mais recentes. Isso tudo faz parte de um projeto que, ao longo do ano, terá outros itens como o lançamento de um documentário, um musical e a minha biografia”, adianta.

Considerada a Rainha do Samba, Alcione conta que presta atenção na nova geração que está surgindo. “Tem uma juventude muito talentosa, e interessada na história dos bambas. É uma garotada que sabe tudo, estuda a música brasileira e que, felizmente, também tem me prestigiado nos shows Brasil afora”, diz orgulhosa.

Para manter o pique, a cantora não escapou da pergunta sobre sua saúde, que virou assunto nos últimos tempos: “Levei um susto mas, felizmente, agora está tudo em ordem. De quebra, apesar de muita gente ainda pensar que fiz cirurgia ou alguma dieta maluca, ainda consegui emagrecer bastante. Fiquei mais saudável sim, mas por conta dos cuidados que tive que tomar depois de ter ido parar no Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, em 2016. Agora, exames zerados e vida que segue”.

De bem com a vida, a Marrom quer mesmo é celebrar sua carreira nos palcos da vida. “Tenho muitos sonhos e projetos sempre. Deus me livre pensar que já fiz tudo na vida! E eu desejo estar com o público por muito, mas muito mais tempo”, conclui.

SERVIÇO

Alcione apresenta Eu Sou a Marrom – Nesta sexta-feira (13) e sábado (14), a partir das 21h, no Manhattan Café Theatro (Rua Francisco da Cunha, 881, Boa Viagem), com abertura dos Garçons Cantores. Couvert: R$220. Informações e reservas: (81) 3325-3372.

Últimas notícias