Festival

Jesuton leva RioMar Jazz Fest à sua apoteose

Quinta edição do evento encerrou ciclo de quatro dias com música de qualidade oferecida gratuitamente no mall

Robson
Robson
Publicado em 01/05/2018 às 2:00
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Quinta edição do evento encerrou ciclo de quatro dias com música de qualidade oferecida gratuitamente no mall - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

A última noite da quinta edição do RioMar Jazz Fest fechou com chave de ouro o evento cultural e gratuito do RioMar Shopping, no bairro do Pina, Zona Sul do Recife. Após quatro dias reunindo atrações regionais, nacionais e internacionais, o encerramento nesta terça-feira (30) contou com as apresentações do pernambucano Amaro Freitas e a cantora inglesa Jesuton.

Na abertura do último dia, o conterrâneo e pianista Amaro Freitas subiu ao palco do evento junto com seu trio, levando o melhor da música instrumental brasileira. Ao transbordar talento, ficou provado que não é a toa a sua presença nos principais festivais de jazz do País.

Poucos minutos depois das 19h, a atração mais esperada da noite subiu ao palco. Bastante concentrada, a cantora inglesa Jesuton começou a juntar público a cada minuto de sua apresentação. E para quem já a conhecia ou estava acompanhando o festival ao longo dos dias, o momento era mesmo de apoteose.

Ao fim da segunda canção, a artista inglesa radicada no Rio de Janeiro colocou o seu sotaque para jogo e cumprimentou o público pernambucano. Ao ganhar um presente de uma pequena fã que veio junto com a família, ela agradeceu por fazer música no nosso País: “O Brasil foi o País que me acolheu e estar aqui hoje é muito especial para mim”.

Disposta a apresentar o seu mais novo trabalho autoral, Jesuton trouxe ao público do festival a faixa Cuidar de Mim, um blues cheio de atitude que ganha força na sua voz. Em seguida, a cantora surpreende os espectadores ao entregar uma versão soul para Say My Name, hit pop radiofônico da extinta girlband Destiny’s Child. Bastante segura, Jesuton impressionava pelo domínio de sua musicalidade. Sua voz ia do agudo ao mais simples grave sem deixar uma nota cair.

“O Brasil é um lugar misterioso, mágico e sempre traz mais do que eu peço”, disse ela ao chamar uma das lendas vivas do blues de New Orleans, Kenny Brown, ao seu palco – que se apresentara anteontem no evento. Com o músico, entregou uma releitura singular de Nothing Compares To You, de Prince, imortalizado por Sinead O’Connor.

PEQUENA DE VOZ GIGANTE

Na plateia, fascinada pela cantora, um comentário resumia o sentimento de muitos. “Ela é pequenininha, mas quando pega o microfone vira um mulherão”, disse uma moça que estava em pé contemplando o show. O público veio mesmo abaixo com sua performance de Back To Black, de Amy Winehouse, ainda com Kenny Brown no palco, sendo aplaudida várias vezes durante a música.

Junto à grandeza de Jesuton, a conclusão maior é que o 5º RioMar Jazz Festival cumpriu seu papel de agregar e enriquecer o repertório do público nesses quatro dias, entregando música de qualidade de forma gratuita.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias