POLÍCIA

Advogado apresenta notícia-crime contra Johnny Hooker após show no FIG

Segundo o advogado, as afirmações feitas pelo cantor no palco do Festival de Inverno de Garanhuns seriam ofensa à fé cristã

JC Online
JC Online
Publicado em 30/07/2018 às 23:31
Foto: Nicole de Andrade - Secult PE
Segundo o advogado, as afirmações feitas pelo cantor no palco do Festival de Inverno de Garanhuns seriam ofensa à fé cristã - FOTO: Foto: Nicole de Andrade - Secult PE
Leitura:

Após afirmar que Jesus é travesti durante um show no Festival de Inverno de Garanhuns, o cantor Johnny Hooker foi alvo de uma notícia-crime enviada por um advogado à Polícia Civil, nesta segunda-feira (30). No documento, o advogado Jethro Ferreira requer a instauração de um inquérito policial conduzido por um delegado especial para apurar o caso.

Segundo o advogado, "as pessoas que professam a fé cristã tem a pessoa de Jesus Cristo como uma pessoa do sexo masculino, heterossexual, segundo a Bíblia Sagrada".

Para ele, "parece induvidoso" que Johnny Hooker praticou infrações contidas em duas normas. Um deles é o artigo 20 da Lei Federal nº 7.716, que prevê pena de reclusão de um a três anos e multa para quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. O segundo transcrito no documento é o artigo 208 do Código Penal, onde "escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso" resulta em detenção, de um mês a um ano, ou multa.

Caso haja alguma "recalcitrância do noticiado em apresentar-se à Autoridade Policial para ser pregressado, qualificado e interrogado", o advogado defende "que seja formulada representação pela decretação da prisão preventiva".

Em sua rede social, o cantor se pronunciou sobre a apresentação no FIG com orgulho, e citou a sua avó, Gilce Maia, que normalmente o acompanha nas apresentações em Pernambuco. "Queria dividir com vocês uma coisa linda. Quando desci do palco no FIG minha vó de 82 anos me falou: 'Jesus estaria muito orgulhoso de você, meu filho, pois ele sempre se levantou em defesa dos oprimidos e dos marginalizados'. Coração tranquilo e infinito, rodeado de amor", postou Johnny Hooker. 

Prefeito repudia Johnny

O prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, emitiu nota oficial para comentar os protestos realizados durante o FIG.  Segundo ele, "Manifestações e importantes debates no que diz respeito aos direitos da liberdade de expressão e liberdade de crença foram enaltecidos em Garanhuns nos últimos dias". Entretanto, ele critica artistas que levantaram bandeiras em favor das minorias e da igualdade de gênero, mostrando-se intransigente quanto ao uso dos valores cristãos. "Para nossa tristeza, alguns artistas se utilizaram do mesmo direito para fazer apologia à violência e à segregação", afirma Régis, que classificou as palavras de Johnny como "nocivas". 

O prefeito cita nominalmente Hooker e a cantora Daniela Mercury como as principais vozes do discurso que julgou ofensivo a crenças e práticas religiosas. "Testemunhamos perplexos manifestações nocivas do cantor Johnny Hooker que proferiu palavrões, insultos e provocações contra símbolos religiosos. Reconhecemos que não se trata de um acontecimento isolado, infelizmente, durante a mesma semana, tivemos Daniela Mercury com o mesmo discurso de senso comum, simplista e arrogante. Cantores, pagos com o dinheiro público, que se preocupam mais em ofender pessoas e a religião alheia do que com sua música (que é o que realmente importa), não merecem respeito e tão pouco admiração, mas desprezo", afirma.   

Entenda o caso

Na sexta-feira (27), Johnny Hooker usou um momento do seu show no FIG para sair em defesa da peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, um monólogo em que Jesus é interpretado por uma atriz transsexual. “E se Jesus voltasse agora à terra como uma travesti? Não era para amar ao próximo como a si mesmo? Estamos aqui num festival de falso viva à liberdade. Pois, eu quero dizer que Jesus também é travesti”, afirmar Hooker. Entre ovações e vaias, o artista declara: "pode enfiar a vaia no c*".

Envolto em bastante polêmica, o espetáculo O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu foi convidado, cancelado, reintegrado e de última hora cortado da grade oficial do 28º Festival de Inverno de Garanhuns. O monólogo foi apresentado na cidade sob forte tensão na última sexta-feira (27), sem estrutura de som e iluminação. 

Contatada às 23h18 desta segunda-feira (30), a assessoria do cantor não atendeu. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias