Hip-Hop

Festival Das Ruas leva rap para mães, pais e filhos na Torre Malakoff

Trazendo nomes como Lívia Cruz e FBC, a segunda edição do Festival Das Ruas foca em tornar o evento acessível para mães e pais de baixa renda

Rostand Tiago Rostand Tiago
Rostand Tiago
Rostand Tiago
Publicado em 16/08/2019 às 23:18
Foto: Divulgação
Trazendo nomes como Lívia Cruz e FBC, a segunda edição do Festival Das Ruas foca em tornar o evento acessível para mães e pais de baixa renda - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Se o rap é realmente compromisso, nada mais justo que descubra maneiras de correr atrás de abraçar quem encontra dificuldades de fruir plenamente de sua cultura. Pensando nas mães e pais de baixa renda e em seus obstáculos para aproveitar esse cenário, a Salve Produções traz, hoje e amanhã, o Festival Das Ruas 2 para a Torre Malakoff, reunindo diversas expressões da cena em um ambiente que abrigará adultos e crianças, com entrada gratuita. Mesmo com o cancelamento da apresentação do rapper paulista Coruja BC1 (veja esclarecimentos aqui e aqui) a festa continuará com seus dois dias agitados.

O evento, que conta com parcerias da Secretaria de Cultura do Governo do Estado e da Secretaria da Mulher da Prefeitura do Recife, trará nomes veteranos e novatos, como  FBC, Lívia Cruz, Soffio, Ororo, Rastta e Soffio. Tudo em uma estrutura que permitirá o envolvimento das crianças, seja em atividades ou curtindo os shows com as mamães e papais em uma área reservada.

"Essa é a segunda edição dos Das Ruas, esse projeto que nasce de pesquisas de campo com objetivo de promover eventos inclusivos com cultura, política e sempre com alto nível. Para esta edição, voltada para mães e baixa renda, buscamos as demandas desse público e vimos que precisaria ser algo em lugar central, com um horário que permitisse levar as crianças e com estrutura para recebê-los", explica Diego Guimarães, produtor-executivo da Salve.

O projeto estava inicialmente marcado para o último dia 2, contando com um dia de atrações. As coisas foram crescendo e o Das Ruas pôde tomar a forma de festival do tamanho que será hoje. "A gente tenta pegar cada pedra no caminho para ir fazendo um castelo. É um evento difícil de atrair algumas iniciativas privadas, principalmente para um evento pioneiro e acessível como está sendo o Das Ruas", relata o produtor.

Vozes veteranas e novatas

Acessibilidade permeia a iniciativa não só em relação ao público, mas também nos palcos. A curadoria funciona em três eixos. O primeiro são os nomes de experiência na cena, como é o caso do mineiro FBC, trazendo o elogiado e frenético disco S.C.A, presente nas listas dos melhores do ano em 2018. Outros dois pontos são trazer nomes locais em alta, como a pernambucana Lívia Cruz, e também dar espaço para novatos que querem mostrar sua voz, como a rapper Ororo, que terá sua primeira vez no palco.

"Não tem como falar de música sem falar de rap hoje em dia e a gente quer provar que o rap é um ambiente familiar, que você pode trazer seu filho e que ele pode escutar como qualquer outro rimo. Não queremos um cenário hip-hop com as mesmas festas, o mesmo público, da mesma classe social", afirma Guimarães.

A ideia é que o projeto Das Ruas retorne para um terceiro evento, voltado para o público LGBT, encerrando esse ciclo, enquanto já se pensa no próximo. O evento de hoje já dará um gostinho dessa conclusão, com apresentação de Soffio, um dos primeiros MCs assumidamente gays do Estado. “Vamos fazer esse evento único no Brasil e acreditamos que será o primeiro de muitos, fortalecido na paz e a na inclusão”, conclui Diego Guimarães.

Festival Das Ruas 2 - Hoje, com Lívia Cruz, Rastta, Pedro Dog , 9K, Contrafluxo, AK Beatmaker e amanhã, com FBC, Soffio, Schnneider, Ororo, Malli e Leo da Bodega. A partir das 14h, na Torre Malakoff (Praça do Arsenal da Marinha, s/n, Bairro do Recife). Entrada gratuita, com recolhimento de doações de alimentos e roupas.

Últimas notícias