Política cultural

Equipamentos culturais da Fundarpe estão entre os menores investimentos

Último dia da série investiga os cuidados da fundação aos 18 equipamentos e analisa a evolução da política de fomento Funcultura

Bárbara Buril
Bárbara Buril
Publicado em 14/10/2013 às 7:00
Isabella Valle /Secult-PE/Fundarpe
Último dia da série investiga os cuidados da fundação aos 18 equipamentos e analisa a evolução da política de fomento Funcultura - FOTO: Isabella Valle /Secult-PE/Fundarpe
Leitura:

A Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) também é o nome por trás de 18 equipamentos culturais do Estado – de museus a cineteatros. Em 2012, eles ficaram com apenas R$ 2,7 milhões do total de recursos do órgão – R$ 137,4 milhões. Um investimento restrito, se comparado ao do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), por exemplo, produzido, em 2012, com R$ 16,8 milhões, ou ao do Carnaval (R$ 10 milhões).

Os espaços culturais são abrigos para diferentes acervos e, na maior parte das vezes, instalados em edifícios históricos. Integram, portanto, o patrimônio cultural estadual. Para mantê-los em funcionamento, a Fundarpe deve não só preservar a estrutura física dos prédios (alguns deles tombados), mas ainda gerir a programação de atividades. Se a primeira responsabilidade é cumprida, na medida do possível, a segunda tem se tornado quase secundária, já que o orçamento para a programação é ínfimo.

“A política para equipamentos é diferente da política para festivais. São exigências que demandam recursos distintos. Do ponto de vista político, estamos interessados tanto no funcionamento dos equipamentos, como no acontecimento dos eventos. Essas questões não se excluem”, argumenta o secretário de Cultura, Fernando Duarte. “Os equipamentos são uma prioridade, tanto que estamos fazendo investimentos neles. Mas, do ponto de vista do que era necessário, há lacunas de orçamento e pessoal”, reconhece.

Vale ressaltar que os R$ 2,7 milhões foram reservados às obras estruturais e de implantação dos equipamentos. Afora isso, o montante de 2012 só foi aplicado em cinco espaços: no Museu da Imagem e do Som (Mispe), no Cinema São Luiz, no Museu do Estado (Mepe), no Pasárgada e no Centro Cultural Capiba, em processo de instalação.

Veja abaixo a lista dos 18 equipamentos culturais mantidos pela Fundarpe. Na edição de hoje do Caderno C, encerra a série de reportagens que analisa os 40 anos da Fundarpe. No último dia, será analisado o papel da Fundarpe quanto à preservação dos espaços culturais e a evolução da política de fomento Funcultura.

LISTA DOS 18 EQUIPAMENTOS CULTURAIS DA FUNDARPE

EM FUNCIONAMENTO

CASA DE CÂMARA E CADEIA
Única obra do arquiteto francês Louis de Vauthier no interior do Estado de Pernambuco, construída em 1845. É uma galeria de arte com artistas da região. Em funcionamento.
Rua Maestro Tomás de A. Maciel, Centro, Brejo da Madre de Deus

CASA DA CULTURA LUIZ GONZAGA
O maior pólo de comercialização de artesanato do Recife existe na antiga Casa de Detenção do Recife, que permaneceu por mais de um século como a mais importante penitenciária de Pernambuco. Em funcionamento.
Cais da Detenção, s/nº, Santo Antônio, Recife

CINEMA SÃO LUIZ
Inaugurado em 1952, o São Luiz tornou-se um dos mais emblemáticos cinemas do Recife, por ser um dos últimos cinemas de rua em funcionamento no Brasil. Quando deixou de ser propriedade do Grupo Severiano Ribeiro, em 2007, e das Faculdades Integradas Barros Melo (Aeso), em 2008, o Estado incorporou o cinema a sua rede de equipamentos. Em funcionamento.
Rua da Aurora, 175, Boa Vista, Recife

CINE TEATRO GUARANY
Construído em 1919, o espaço só foi adquirido pela Fundarpe em 1988, data em que o prédio foi tombado. Reformado em 2012, o equipamento abriga o Festival de Cinema de Triunfo. Também serviu de palco para apresentações de grupos teatrais e de dança durante as edições de 2011 e 2012 do Festival Pernambuco Nação Cultural. Em funcionamento.
Praça Carolino Campos, s/nº, Centro, Triunfo

ESPAÇO PASÁRGADA
A casa onde o poeta Manuel Bandeira viveu parte de sua vida é atualmente um espaço para se discutir literatura. Em funcionamento.
Rua da União, 263, Boa Vista, Recife

GALERIA DE ARTE DO CENTRO DE ARTESANATO DE PERNAMBUCO
Parte do Centro de Artesanato de Pernambuco, a galeria de arte recebe, desde o final do ano passado, várias exposições relacionadas com a cultura popular pernambucana. Em funcionamento.
Av. Alfredo Lisboa, s/nº, Armazém 11, Bairro do Recife, Recife

MUSEU DO BARRO DE CARUARU (Mubac)
O acervo do museu é composto por cerca de 2.300 peças, entre cerâmica utilitária, decorativa, figurativa e ex-votos. O circuito de exposição do Museu do Barro tem um formato didático que mostra o processo criativo da arte em cerâmica. Ao longo dos últimos anos, aconteceram exposições, aulas, palestras e cursos no espaço. Em funcionamento.
Praça José de Vasconcelos, 100, Espaço Cultural, Caruaru

MUSEU REGIONAL DE OLINDA (Mureo)
É uma casa-museu que recompõe, em conjunto com seu entorno, o cenário da vida doméstica e social dos moradores da Olinda de 1700. O acervo da casa-museu reúne mobiliários, pinturas, painéis, louças, pratarias e peças de valor histórico. Possui ainda em seu acervo peças de arte sacra, incluindo um altar que pertenceu à antiga Igreja da Sé de Olinda. Em funcionamento.
Rua do Amparo, 128, Amparo, Olinda

MUSEU DE ARTE SACRA DE PERNAMBUCO (Maspe)
Inaugurado no dia 11 de abril de 1977, o Museu de Arte Sacra de Pernambuco (Maspe) está instalado numa das primeiras edificações da Vila de Olinda, a antiga Casa da Câmara, fundada por Duarte Coelho em 1537. Em sua fachada, é possível ver uma placa da Unesco, de 14 de dezembro de 1982, que declara Olinda Monumento Cultural da Humanidade. Na atual gestão, o espaço desenvolve atividades com escolas da rede pública. Em funcionamento.
Alto da Sé, Olinda

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE PERNAMBUCO (MAC)
Inaugurado em 1966, com a doação de parte da Coleção do Embaixador Assis Chateaubriand ao Estado, o MAC conta com um acervo de mais de 4 mil obras das mais variadas técnicas, épocas e estilos, indo desde o academicismo francês até a contemporaneidade. Em funcionamento.
Rua Treze de Maio, 157, Varadouro, Olinda

MUSEU DA IMAGEM E DO SOM DE PERNAMBUCO (Mispe)
Teve início a partir do registro em áudio de entrevistas com importantes personalidades da política, da arte e da cultura pernambucana das décadas de 70 e 80. Durante mais de 12 anos, o Mispe funcionou na Casa da Cultura de Pernambuco e em 1992 passou a ter como sede um casarão do século 19 na Rua da Aurora. Em 2008, em razão de problemas estruturais no prédio, voltou a funcionar temporariamente na Casa da Cultura, onde disponibiliza seu acervo para pesquisa e intercâmbio do mesmo com outros centros cultuais.
Atualmente funciona na Casa da Cultura Luiz Gonzaga, no raio norte, primeiro andar. Cais da Detenção, s/nº, Santo Antônio, Recife

MUSEU DO ESTADO DE PERNAMBUCO (Mepe)
Funciona em um dos mais significativos exemplares arquitetônicos do século XIX, o palacete no bairro das Graças onde viveu Augusto Frederico, o filho do Barão de Beberibe. Ao longo de 80 anos de existência, o Museu criado em 1929, possui um amplo e variado acervo de peças que constituem referenciais marcantes da história do Estado. São mais de 16 mil peças. Em funcionamento.
Avenida Rui Barbosa, 960, Graças, Recife

TEATRO ARRAIAL
Criado durante a administração cultural de Ariano Suassuna, foi inaugurado em 1997. Desde então, recebeu espetáculos esporádicos de teatro e dança e serviu para exibições cinematográficas, além de ter oferecido cursos, palestras e debates sobre artes cênicas em geral. Foi o pioneiro no lançamento de convocatórias públicas para ocupação do espaço, consolidando um processo democrático e criterioso.
Rua da Aurora,  457, Boa Vista, Recife

TORRE MALAKOFF
Antigo Observatório Astronômico e Portão Monumental do Arsenal da Marinha, a Torre Malakoff funciona hoje como um espaço cultural. Foi tombada como monumento histórico pela Fundape em 1992 e, durante décadas, orientou as navegações que saíam e chegavam ao Porto do Recife.
Praça do Arsenal, s/nº, Bairro do Recife, Recife

PARA ABRIR

CENTRO CULTURAL GOVERNADOR MIGUEL ARRAES DE ALENCAR

Construído na Estrada da Batalha, em Jaboatão dos Guararapes, o espaço terá múltiplos usos. Contará com biblioteca, espaço para oficinas e pequenas exposições. Segundo a Fundarpe, será inaugurado no primeiro semestre do ano que vem.Integra o complexo viário construído na revitalização da PE-08, conhecida como Estrada da Batalha, localizada no município de Jaboatão dos
Guararapes. Em processo de implantação.

ESTAÇÃO CENTRAL CAPIBA
O espaço, localizado na antiga Estação Central do Recife, contará com o Museu do Trem, uma galeria de arte contemporânea e um memorial virtual em homenagem ao músico Capiba. Há previsões de ser completamente inaugurado até o final do ano que vem. Em processo de implantação. Praça Visconde de Mauá, s/nº, São José, Recife.

PARCERIAS

CINE-TEATRO POLYTHEAMA
Construído no ano de 1914, o cinema foi reativado em 2010. Na parceria da Fundarpe com a prefeitura de Goiana, a fundação se encarrega da disponibilizar vigilância, limpeza e pessoal do espaço. Alguns projetos aprovados pelo Funcultura são realizados no Polytheama.
Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, Goiana.

CINE-TEATRO APOLLO
Inaugurado em 1914, o espaço foi construído com o propósito de atender às atividades culturais, que na época ganhavam espaço na sociedade local. Com a enchente, o teatro foi comprometido e não funciona há três anos. Existe planos de que, no orçamento de 2014, seja incluída a reestruturação do lugar.
Rua da Conceição, Centro, Palmares

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias