Concerto

Saxofonista Leo Gandelman se apresenta no Teatro Santa Isabel

Ao lado do pianista Eduardo Freitas, Leo faz o show Música de Fronteira neste sábado (11)

Germana Macambira
Germana Macambira
Publicado em 10/04/2015 às 6:00
Divulgação
Ao lado do pianista Eduardo Freitas, Leo faz o show Música de Fronteira neste sábado (11) - FOTO: Divulgação
Leitura:

“A música é um ponto de encontro de estilos. Quando executados, eles passam a se pertencer, sem muros que os separem”. As palavras são do saxofonista brasileiro Leo Gandelman, que faz jus às aspas, pela maestria na execução de clássicos da música instrumental, com sonoridades que vão do popular ao erudito. 

Um traço peculiar de sua carreira de mais de quatro décadas, que o tornou um dos mais notáveis instrumentistas do País. Amanhã, no Teatro Santa Isabel, ele se apresenta ao lado do pianista Eduardo Farias, com o show do mais recente trabalho Música de Fronteira. No repertório, Heitor Villa Lobos, Severino Araújo, Pixinguinha e Waldir Azevedo, estão entre as execuções da noite. 

"Esse projeto foi lançado o ano passado, junto com o Eduardo, que acredita, assim como eu, que a música é um ponto de encontro. Que fronteira, na verdade, significa expansão e busca de novas janelas de improvisação para a música”, ressaltou em entrevista ao Jornal do Commercio.

É na fronteira desses dois mundos que se baseia a apresentação no Recife, com uma variedade ritmica que busca explorar o virtuosismo de cada um deles, no repertório que alterna entre os elementos do jazz e do choro de Severino Araújo, com Um chorinho em aldeia a músicas autorais do próprio Gandelman, como Neshama, feita em parceria com o pianista David Feldman. 

“No show, mostramos o sax e o piano, executados de uma forma mais sensível. A parceria com Eduardo, um jovem e promissor músico, tem sido muito satisfatória. Ele tem essa liberdade que aprecio, de trafegar pelos estilos musicais, sem medo”, revelou.

Linda Erika (Luiz Americano), A lenda do caboclo (Heitor Villa Lobos), Cubanos e Pássaros em festa (Ernesto Nazareth) Ignez (Pixinguinha) e Brasileirinho (Waldir Azevedo), são algumas das músicas que compõem o repertório do show, no Santa Isabel. “O público do Recife é muito especial. A apresentação deve ser uma das mais memoráveis”, revelou Leo Gandelman, que deve se ater ao repertório do disco mas não descarta a possibilidade de improvisações no decorrer da apresentação.

Acompanhe o trabalho de Leo Gandelman e Eduardo Fraias, no Música de Fronteira, com a autoral Neshama:

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias