Empoderada

Tati Quebra Barraco: 'Sempre vou falar em prol das mulheres e LGBTs'

Funkeira, que faz show no I Love Cafusú, fala sobre trajetória e novos projetos

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 01/02/2018 às 14:55
Divulgação
Funkeira, que faz show no I Love Cafusú, fala sobre trajetória e novos projetos - FOTO: Divulgação
Leitura:

Se hoje o funk desceu dos morros cariocas e conquistou o País, deve-se, e muito, a Tatiana dos Santos Lourenço, a Tati Quebra Barraco. Com suas letras afrontosas, a carioca prenunciou a onda de empoderamento feminino que ganhou força nos últimos anos. A libido, independência e amor próprio, batendo de frente com os padrões de comportamento e beleza, fizeram dela um ícone feminista e pró-LGBT. Aos 38 anos, mais da metade deles no palco, a artista vive um novo boom na carreira e celebra o momento com show sexta-feira (2), às 22h, no Clube Internacional, dentro da prévia I Love Cafusú.

Nos anos 2000, sucessos como Boladona, Sou Feia, Mas Tô na Moda, Dako É Bom e Fama de Putona eram praticamente inescapáveis. Cantados por Tati, eles surgiram como um contraponto em um momento em que Bonde do Tigrão, MC Marcinho, Bola de Fogo e outros começavam a bombar, ganhando as rádios e os programas de televisão. Apesar de ter contemporâneas tão talentosas quanto, como Deise Tigrona, a funkeira era uma voz quase solitária em meio aos homens. Por isso, sempre fez questão de marcar território e, mais, abrir espaço para suas semelhantes.

“Sempre falei das mulheres, sempre defendi [nossas bandeiras]. Para mim, é muito importante representar não só as mulheres, mas também o movimento LGBT. Hoje, ainda há preconceito em relação a tudo. O funk, por exemplo, ainda sofre resistência, mas eu não me importo: vou lá e faço”, afirmou em entrevista por telefone ao JC.

O BERRO É CERTO

Antes mesmo de cunhado o termo meme, Tati Quebra Barraco já era uma produtora natural de conteúdo viral. “Se prepara mona, que a gente tá na pista – sem neurose” e “Sou Feia, Mas Tô na Moda” são alguns de seus bordões antigos, aos quais foram adicionados, recentemente, “Quem tá comendo não tá reclamando”, frase proferida durante entrevista com Danilo Gentili e que hoje estampa roupas vendidas pela artista e usadas por celebridades como Anitta. Á frente do reality show Lucky Ladies (2015), também conquistou nova legião de fãs com seu carisma.

Para o show no Recife, ela promete seus grandes sucessos, além do hit Berro, lançado no fim do ano passado com o Heavy Baile e a drag Lia Clark, e de canções novas. Ela, aliás, já tem material pronto para um novo disco.
“Vou chegar quebrando tudo. Acho que o público vai adorar as músicas novas. Já faz uns três anos que não vou ao Recife e estou ansiosa. Berro!”, encerrou.

Últimas notícias