Festa

Transporte público insuficiente durante noite do réveillon

Autoridades não se organizaram adequadamente para evitar tal transtorno

AD Luna
AD Luna
Publicado em 01/01/2012 às 15:10
Leitura:

Com exceção da falta de um número mais adequado de banheiros (as filas para entrar nas cabines químicas era imensas), a estrutura armada no Pina para receber a passagem de ano funcionou bem. O som estava bom e podia ser ouvido a grandes distâncias. A visibilidade das apresentações também foi ampliada em razão dos dois telões posicionados ao lado do palco. "Achei tudo bem organizado, tranquilo e os fogos foram muito bonitos", afirmou a estudante universitária Emanuele Morais, 19 anos.

Opinião semelhante foi expressa pelo vigilante Flávio Lins, 39, que veio do Ibura com a esposa, a filha e uma amiga desta curtir o réveillon pela primeira vez na orla de Boa Viagem. "Gostei bastante. Foi muito massa!", resumiu.

Acompanhado por um grupo de amigos, o gerente de pizzaria Vanjhohson Carvalho, morador de Arthur Lundgren I, bairro da cidade de Paulista, também destacou itens como a segurança e os fogos. Porém, reclamou das atrações musicais. "Acho que tinham que pôr mais artistas populares e mais frevo, ao contrário de bandas que a gente nunca ouviu nem falar", criticou.

No meio da madrugada, na saída da festa, centenas de pessoas enchiam as avenidas Domingos Ferreira e Conselheiro Aguiar à espera de táxis e ônibus. Os primeiros até apareceram, mas estavam sempre lotados. Já os outros nem sinal. Populares (incluido muitos idosos e crianças) mostravam-se indignados com a falta de transporte público para voltar para suas casas. Pelo que se evindenciou, as autoridades não se organizaram adequadamente para evitar tal transtorno à população. Fato que tirou dos seus rostos parte da alegria vivida algumas horas antes.

 

Últimas notícias