ARACOIABA

Denunciada, mãe de Wesley Safadão renuncia ao cargo de vice-prefeita

A mãe do cantor teve o mandato de vice-prefeita cassado, após várias denúncias de abuso de poder

Rafael Paranhos da Silva
Rafael Paranhos da Silva
Publicado em 13/12/2017 às 0:42
Foto: Reprodução
A mãe do cantor teve o mandato de vice-prefeita cassado, após várias denúncias de abuso de poder - Foto: Reprodução
Leitura:

A mãe do cantor Wesley Safadão e vice-prefeitura de Aracoiaba, no Ceará, Dona Bil, renunciou ao cargo público nessa terça-feira (12) para "se dedicar à carreira do filho". Após várias denúncias de abuso de poder, a cearense teve o mandato cassado e só voltou a ocupar a função por meio de uma decisão liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Dona Bil entregou a carta de renúncia à Câmara Municipal da cidade, mas não citou as denúncias, alegando como justificativa apoio ao filho. "Deixo claro, neste ato de renúncia, que a motivação de minha renúncia se reveste, única e exclusivamente, na necessidade de cuidar de forma mais próxima dos negócios da família e de forma mais especial dedicar meu carinho à carreira do meu filho, o cantor Wesley Safadão."

A mãe do músico ainda diz no documento que não atuará em cargos elegíveis, mas que atuará indiretamente na política do município. "Agradeço a todos que apoiaram minha carreira política, ao passo que afirmo e reafirmo que continuarei junto com as lideranças na busca incessante e intransigente dos interesses do povo de Aracoiaba", afirmou.

O processo contra ela e o prefeito, mesmo com a renúncia, segue sendo investigado pelo TSE.

TRE-CE diz que chapa teve abuso de poder

Por unanimidade, o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) cassou em janeiro deste ano o prefeito eleito de Aracoiaba em 2016. Segundo o tribunal, Antônio Cláudio, e a vice de sua chapa, Maria Valmida Silva de Olinda, a Dona Bill, abusaram de poder no processo eleitoral do ano passado.

A chapa fez doações de quatro ambulâncias em maio de 2016. Os dois chegaram a negar o crime. "Nós não cometemos nenhum crime. Foram quatro ambulâncias que o município recebeu de uma empresa que foram repassadas para as comunidades. Eles alegam que isso causou um desequilíbrio, mas não houve, tanto que eu perdi em duas regiões que receberam os veículos", afirmou Antônio Cláudio.

A desembargadora Nailde Pinheiro Nogueira, relatora do recurso, diz que "houve sim o abuso de poder político e econômico, mediante a doação de veículos (ambulâncias) para a comunidade com as divulgações sabidamente inverídicas de que eram provenientes de recursos próprios da vice-prefeita reeleita com o aval do atual prefeito, com o propósito de captar votos".

 

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias