Fundação Joaquim Nabuco

Presidente da Fundaj, Luiz Otávio se demite e deixa carta a servidores

Luiz Otávio não explicou os motivos de sua saída; a diretora de Planejamento e Administração da Fundaj, Ivete Jurema, assume o cargo interinamente.

Luana Nova
Luana Nova
Publicado em 05/03/2018 às 11:47
Foto: Bobby Fabisak / JC Imagem
Luiz Otávio não explicou os motivos de sua saída; a diretora de Planejamento e Administração da Fundaj, Ivete Jurema, assume o cargo interinamente. - FOTO: Foto: Bobby Fabisak / JC Imagem
Leitura:

À frente da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) desde junho de 2016, o professor Luiz Otávio de Melo Cavalcanti resolveu deixar o posto de presidente da instituição. Sua decisão veio a público na manhã desta segunda-feira (5) através de uma carta de despedida entregue aos servidores da Fundaj. Nomeado para o cargo pelo ministro da Educação Mendonça Filho, Luiz Otávio não indicou na carta os motivos de sua saída, mas relatou algumas de suas principais realizações.

Entre elas, a recuperação do casario do engenho Massangana, a reinauguração do edifício Ulysses Pernambucano, a reinstalação do Seminário de Tropicologia e a instituição do prêmio Geneton Moraes de jornalismo. Por fim, o professor afirmou que cumpriu, com grande alegria, a tarefa que lhe foi confiada. "Me despeço com 'senso do infinito na palma de minha mão'", escreveu o agora ex-presidente da Fundaj.

Com a saída de Luiz Otavio, a presidência da Fundaj será exercida, interinamente, a partir desta segunda, pela diretora de Planejamento e Administração, Ivete Jurema Esteves Lacerda. O anúncio foi feito através de nota enviada pela assessoria do ministro Mendonça Fiho, que agradeceu ao ex-presidente pela atuação à frente da Fundaj e desejou sucesso a Ivete "na continuidade das ações de modernização e melhorias que a nossa gestão vem implementando na Fundação desde junho de 2016".

Confira, na íntegra, a carta escrita por Luiz Otávio:

“Prezados servidores da Fundação Joaquim Nabuco. O afeto me guiou na direção da Fundação Joaquim Nabuco. Numa Casa de bonitezas, meus esforços sempre foram para que produzíssemos, juntos e harmonicamente, uma obra de beleza. Não acentuo só às realizações físicas: reabertura do Pedra Bonita. Reinauguração do edifício Ulysses Pernambucano, no Derby. Recuperação do casario do engenho Massangana.

Quero destacar o intangível, ações invisíveis que protegerão perpetuamente a Fundação: pedido feito ao IPHAN e à FUNDARPE para tombar o conjunto dos prédios da Instituição, em Casa Forte e em Apipucos. Bem assim outras iniciativas que ressaltam a cultura e a pesquisa: reinstalar o Seminário de Tropicologia; instituir o prêmio Geneton Moraes Neto de jornalismo; dar o nome de Manuel Correia de Andrade, Amaro Quintas e Sebastião Vilanova a áreas na Fundação; editar livro sobre a vida de Celso Furtado.

A vida vale a pena quando sentimentos têm seu lugar. Por isso, enxerguei a todos, sem distinção, com respeito e amor fraterno. Cumpri, com grande alegria, a tarefa que me foi confiada pelo ministro Mendonça Filho. Para ser justo, não a cumpriria sem o apoio de Sua Excelência e da equipe do MEC. Agradeço a colaboração de cada um dos servidores desta Casa de saberes e de fazeres. E me despeço com “senso do infinito na palma de minha mão.

Muito obrigado. Luiz Otávio Cavalcanti".

Veja também a nota do ministro Mendonça Filho:

"Com a saída de Luiz Otavio Cavalcanti, a presidência da Fundação Joaquim Nabuco será exercida interinamente, a partir desta segunda-feira (05/03), pela diretora de Planejamento e Administração, Ivete Jurema Esteves Lacerda.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, agradece ao ex-presidente Luiz Otavio pela atuação à frente da Fundaj e deseja sucesso a Ivete Lacerda na continuidade das ações de modernização e melhorias que a nossa gestão vem implementando na Fundação desde junho de 2016, como a abertura da Escola de Inovação e Políticas Publicas, o acordo de cooperação com a Cátedra Fulbright, principal programa de intercâmbio acadêmico dos Estados Unidos, a criação da Cinemateca Pernambucana e a reforma do prédio da Fundaj no Derby, fechado desde dezembro de 2015.

Foram realizadas também as reformas no Museu do Homem do Nordeste, em março de 2017, e melhorias estruturais no Engenho Massangana, no Cabo de Santo Agostinho, onde fica a casa de Joaquim Nabuco. Foram lançados, ainda, projetos educacionais, como o Alumiar, que garante acesso ao cinema para surdos e cegos, e o Mestre dos Saberes, que promove a cultura popular pernambucana para estudantes da rede pública, por meio de oficinas com mestres artesãos".

Luiz Otávio de Melo Cavalcanti é graduado em direito pela Universidade Federal de Pernambuco. Já foi secretário estadual de Fazenda e de Planejamento de Pernambuco, e também de Planejamento e Urbanismo da prefeitura do Recife. Além disso, foi diretor-presidente da Faculdade Santa Maria e diretor-superintendente do jornal Diário de Pernambuco. Tem diversos livros publicados nas áreas de economia, história e cidadania. No dia 17 de junho de 2016, tomou posse como novo presidente da Fundação Joaquim Nabuco, ocupando o lugar que até então era de Paulo Rubem Santiago, que saiu da presidência da Fundaj por não reconhecer como legítimo o governo de Michel Temer.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias