CONFLITO

Aliança árabe-curda expulsa o Estado Islâmico de usina de gás na Síria

As instalações acabaram nas mãos dos rebeldes sírios em 2012, e no poder do EI em 2014

AFP
AFP
Publicado em 23/09/2017 às 15:10
Foto: STRINGER / AFP
As instalações acabaram nas mãos dos rebeldes sírios em 2012, e no poder do EI em 2014 - FOTO: Foto: STRINGER / AFP
Leitura:

A aliança antiextremista apoiada por Washington na Síria anunciou neste sábado (23) ter expulsado o grupo Estado Islâmico (EI) de uma importante usina de processamento de gás na província de Deir Ezzor, no leste do país.

Antes da guerra, a usina de Conoco era a maior responsável pela produção de gás na Síria, com uma capacidade de 13 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, segundo a Syria Report, uma revista econômica online. 

Essas instalações acabaram nas mãos dos rebeldes sírios em 2012, e no poder do EI em 2014. 

"As Forças Democráticas Sírias (FDS) conseguiram retomar o controle da usina de gás de Conoco ao norte da província de Deir Ezzor após dois dias de combate contra o EI", indicou a aliança árabe-curda em comunicado publicado.

A ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) confirmou a retomada da usina e ressaltou que o campo adjacente também foi reconquistado. As FDS não confirmaram essa última informação. 

Petróleo

Deir Ezzor possui as maiores reservas petrolíferas do país. última província controlada pelo EI na Síria, é atualmente cenário de fortes ofensivas contra os extremistas. 

Umas delas lançada pelo exército sírio, ajudada pela força aérea russa, e a outra pelas FDS, auxiliada pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

Construída em 2001, a usina de Conoco era propriedade conjunta da companhia americana ConocoPhillips  e da francesa Total, antes da empresa americana se retirar em 2005 e ceder a fábrica à companhia estatal síria. 

O EI se enriqueceu com os meios de produção de petróleo e gás no leste da Síria, parte que conquistou em 2014, antes de que esses locais se tornassem alvo de bombardeios da coalizão liderada por Washington.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias