COMÉRCIO

China descarta negociar com EUA após novas tarifas

A guerra comercial entre EUA e China se agravou quando o governo americano começou a aplicar tarifas de 10% sobre novos bens importados da China

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 25/09/2018 às 5:07
Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas
A guerra comercial entre EUA e China se agravou quando o governo americano começou a aplicar tarifas de 10% sobre novos bens importados da China - Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas
Leitura:

A China avaliou nesta terça-feira (25) ser impossível manter negociações comerciais com Washington após a imposição, na véspera, de novas tarifas americanas sobre as importações de produtos chineses.

"Os Estados Unidos acabam de adotar restrições comerciais muito importantes. Com a faca no pescoço desta maneira, como podemos realizar negociações?! Não seriam negociações e consultas realizadas em pé de igualdade", declarou em Pequim o vice-ministro chinês do Comércio, Wang Shouwen, em entrevista coletiva.

Guerra comercial

A guerra comercial entre Estados Unidos e China se agravou na segunda-feira, quando o governo americano começou a aplicar tarifas de 10% sobre novos bens importados da China por US$ 200 bilhões.

Pequim prometeu retaliar imediatamente com tarifas de entre 5% e 10% sobre 60 bilhões de dólares em produtos americanos.

O secretário americano do Tesouro, Steven Mnuchin, havia contactado seus homólogos chineses para retomar as negociações bilaterais sobre o conflito comercial, mas a adoção das novas tarifas decididas pelo presidente americano, Donald Trump, parecem ter afundado a iniciativa. 

Os chineses se reuniram com negociadores americanos no mês de agosto, em Washington, e "estas  conversações permitiram vários consensos e até uma declaração comum, mas os Estados Unidos abandonaram isto e adotaram medidas de restrição comercial, o que não permite o prosseguimento das negociações", afirmou Wang Shouwen nesta terça. 

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias