pobreza

FMI quer prorrogar taxa zero para países pobres

O Fundo decidiu, em julho de 2009 e pela primeira vez na história, zerar em 2010 e 2011 os juros dos empréstimos concedidos aos membros mais pobres do FMI

Isabela Lemos
Isabela Lemos
Publicado em 13/12/2011 às 21:25
Leitura:

O Fundo Monetário Internacional (FMI) propôs prorrogar por um ano, até o final de 2012, a taxa de juros zero para empréstimos concedidos aos países membros mais pobres, assinala um relatório divulgado nesta terça-feira (13).

"Os funcionários do FMI recomendam que a medida de transição de anulação excepcional dos juros seja prorrogada por um ano, até dezembro de 2012, diante dos graves riscos que apresentam as perspectivas econômicas mundiais", assinalou o departamento de Estratégia do FMI.

O Fundo decidiu, em julho de 2009 e pela primeira vez na história, zerar em 2010 e 2011 os juros dos empréstimos concedidos aos membros mais pobres do FMI. O Conselho de Administração, composto por representantes de 24 países e grupos de países, tem até o final do ano para decidir se mantém a medida. Do contrário, ela expirará no dia 31 de dezembro.

Mesmo com o cancelamento da medida, as taxas de juros para os países mais pobres permanecerão reduzidas: de 0% a 0,25%, dependendo do tipo de crédito, tendo em conta o cálculo baseado nas taxas dos mercados monetários de Estados Unidos, Eurozona, Japão e Reino Unido.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias