AUMENTO

Alckmin reajusta salário mínimo de São Paulo para R$ 690

A primeira faixa, que inclui os trabalhadores domésticos agropecuários, pescadores, contínuos e os de serviços de limpeza, teve aumento de 15%, passando de R$ 600 para R$ 690

Davi Barboza
Davi Barboza
Publicado em 19/01/2012 às 13:42
Leitura:

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta quinta-feira (19) o aumento das três faixas do salário mínimo estadual. Os reajustes foram superiores ao concedido neste ano pelo governo federal, de 14,13%. A primeira faixa, que inclui os trabalhadores domésticos agropecuários, pescadores, contínuos e os de serviços de limpeza, teve aumento de 15%, passando de R$ 600 para R$ 690.

A segunda faixa, onde estão operadores de máquinas, tintureiros, manicures e cabeleireiros, foi reajustada em 14,75%, passando de R$ 610 para R$ 700. A terceira faixa, por sua vez, teve elevação de 14,52%, de R$ 620 para R$ 710, e inclui os setores de higiene e saúde, vendas e segurança privada. A estimativa é de que as novas faixas do salário mínimo paulista beneficiem cerca de 7,8 milhões de trabalhadores. O governo paulista planeja enviar o projeto de lei que estabelece o aumento à Assembleia Legislativa nos próximos dias. O reajuste das três faixas é válido a partir de 1º de março.

Alckmin informou ainda que pretende antecipar o reajuste das três faixas do piso salarial paulista para janeiro, o que deve acontecer, segundo ele, em 2014, ano de eleições para sucessão ao Palácio dos Bandeirantes. A expectativa do governo é de que, em 2013, o reajuste seja antecipado para fevereiro. "No ano que vem, ele será a partir de 1º de fevereiro e, depois, chegaremos a 1º de janeiro", disse Alckmin, em cerimônia na capital paulista.

Em entrevista coletiva, Alckmin atribuiu o reajuste do mínimo estadual acima do aumento dado pelo governo "à dinâmica da economia paulista". "O reajuste é superior, mas ele não é tão diferente", disse. "A economia de São Paulo é mais dinâmica e essa é a lógica do piso estadual. Há um piso para todo o Brasil, mas as unidades da federação com economias mais fortes podem avançar mais."

SERVIDORES - O governador anunciou ainda um reajuste de 14,28% no piso salarial concedido a servidores públicos do Estado, ativos e inativos, que passou de R$ 630 para R$ 720. O aumento beneficia mais de 33 mil funcionários públicos e representa um impacto adicional de aproximadamente R$ 37 milhões por ano aos cofres públicos.

Alckmin informou também que o governo e as centrais sindicais irão discutir, neste ano, a possibilidade de haver modificações nas atuais faixas do piso salarial paulista. "Há alguns que acham que deveria diminuir, ter apenas duas faixas", afirmou. "Há outros, no entanto, que acham que três faixas é o ideal, mas há também quem ache que a gente deveria ter um piso também para as áreas técnicas", acrescentou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias