Otimismo

Turismo dribla crise e deve crescer 4%

Flexibilidade do setor é apontada pelo secretário-geral da Organização Mundial de Turismo (OMT) como razão da boa notícia, apesar do contexto desfavorável

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 27/09/2012 às 1:57
Leitura:

MADRI E RIO – Contra todas as expectativas, o setor de turismo conseguiu se adaptar à crise econômica, explica Taleb Rifai, secretário-geral da Organização Mundial de Turismo (OMT), que prevê crescimento global do setor de 4% em 2012.

O turismo foi duramente atingido pela crise em 2008 - com desaceleração de 2,1% - antes de viver em 2009 seu pior ano em seis décadas, com queda de 3,8% na chegada de turistas. Contudo, enquanto a crise parece não ter fim, o setor cresceu 6,6% em 2010 e 5% em 2011.“O setor é muito flexível e se adapta bem às circunstâncias”, comemora Rifai.As dificuldades econômicas “mudarão as formas de viajar, as pessoas procurarão as ofertas, mas continuarão viajando”, acrescenta.

No primeiro semestre, o setor cresceu 5%. Entre janeiro e junho, o crescimento foi mais forte na Ásia-Pacífico, de 8%. O Japão se recuperou depois de sofrer forte queda em 2011 após o terremoto, tsunami e acidente nuclear de Fukushima.
Na Europa, região mais visitada do mundo, o aumento foi de 4% no número de turistas, cifra similar a das Américas, com 5%.

A África (+7%) também viveu um bom período, ainda mais no norte (+11%), depois das revoltas populares da Primavera Árabe. “O turismo é provavelmente um dos únicos setores que podem estimular a economia mundial, em particular no que se refere a empregos. Não podemos subestimar os que são gerados pelo setor”, defende Rifai. Com 235 milhões de postos de trabalho, o setor é responsável por 5% do PIB mundial. Isso leva a OMT a se preocupar com obstáculos que podem ameaçar o crescimento da indústria, como taxas sobre viagens, em especial no transporte aéreo.

BRASIL
Para aproveitar o bom momento, o BNDES decidiu dobrar para R$ 2 bilhões a dotação orçamentária do Programa de Turismo para a Copa do Mundo de 2014, além de estender o prazo de vigência de 31 de dezembro deste ano para 30 de junho de 2013. O aumento foi necessário devido à grande demanda do setor hoteleiro. Entre os empreendimentos beneficiados, estão o Mar Hotel, Atlante Plaza e Summerville, em Pernambuco, que receberam R$ 32 milhões para modernização.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias