Crescimento

Só os serviços crescem mais que o PIB

Enquanto setor de serviços cresceu 11,6%, indústria avançou apenas 2% nos últimos quatro anos

Marina Barbosa
Marina Barbosa
Publicado em 03/03/2013 às 11:17
Leitura:

O setor de serviços, que engloba atividades como comércio e tecnologia da informação, entre outras, puxou o crescimento da economia brasileira e foi o único que avançou acima do Produto Interno Bruto (PIB) desde o início da crise econômica, iniciada em setembro de 2008. Nos quatro anos e um trimestre desde o início da turbulência internacional, o PIB do setor de serviços aumentou 11,6%, enquanto o PIB brasileiro cresceu 9,3%, revela um estudo do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi). No mesmo período, a indústria avançou apenas 2%, e a agropecuária ficou praticamente estagnada - queda de 0 ,%.

O resultado do PIB de 2012, divulgado na sexta-feira (1°), confirmou o crescimento mais forte do setor de serviços, com alta de 1,7% no acumulado de 2012 ante 2011. A indústria recuou 0,8%, e a agropecuária, afetada por problemas climáticos e barreiras sanitárias, caiu 2,3%.

A reação mais pujante do setor de serviços desde o início da crise é evidente porque todas as atividades apresentaram crescimento. No caso da indústria, a atividade de transformação teve uma queda de 5,9% no período analisado. O que evitou um recuo do PIB total industrial foi o crescimento do setor de construção, que teve alta de 12,1% - vale lembrar que, nos últimos anos, o governo adotou medidas de estímulos para a construção, com o lançamento do programa Minha Casa, Minha Vida e a desoneração da compra de materiais de construção.

"Do ponto de vista da oferta, somente o setor de serviços respondeu aos estímulos da demanda", diz Julio Gomes de Almeida, ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda. "A minha expectativa é que o agronegócio se recupere em algum momento, porque esse resultado é fruto de uma reviravolta no setor das commodities. No caso da indústria, parece ser uma coisa mais estrutural."

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias