avaliação

Desemprego recua para 10,3% em 6 regiões, diz Dieese

A PED é feita nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, do Recife, de Salvador e São Paulo

Da AE
Da AE
Publicado em 29/01/2014 às 10:29
Leitura:

A taxa de desemprego no conjunto das seis regiões metropolitanas onde a Fundação Seade e o Dieese realizam a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) caiu para 10,3% em 2013, ante 10,4% em 2012. A PED é feita nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, do Recife, de Salvador e São Paulo.

Segundo o levantamento, o total de ocupados no conjunto das regiões foi estimado em 18,6 milhões de pessoas em 2013, uma alta de 0,4% na comparação com o ano anterior. Na mesma base de comparação, a População Economicamente Ativa também subiu 0,4%, para 20,754 milhões de pessoas. O total de desempregados no conjunto das regiões caiu 0,1%, para 2,148 milhões em 2013, considerado pelo estudo como relativa estabilidade.

O nível de ocupação em 2013 cresceu em Belo Horizonte (2,5%), no Recife (0,9%), em Fortaleza (0,7%), Salvador (0,5%) e Porto Alegre (0,4%) e ficou relativamente estável em São Paulo (-0 2%). Já em dezembro do ano passado, a taxa de desempregados passou de 9,5% em novembro para 9,3%.

RENDIMENTO - O rendimento médio real dos ocupados nas seis regiões subiu 1,5% em 2013 ante 2012, para R$ 1,611 mil. Em novembro ante outubro, o rendimento médio real dos ocupados subiu 0,3%, para R$ 1,652 mil. 

Na Região Metropolitana de São Paulo, o rendimento médio real dos ocupados recuou 0,5% em 2013, na comparação com 2012, passando para R$ 1,789 mil. A renda média real dos assalariados caiu 1,1%, para R$ 1,796 mil no ano.

Na comparação de novembro com outubro, a PED aponta redução de 0 3% nos rendimentos médios reais dos ocupados e alta de 0,1% no dos assalariados, para R$ 1,840 mil e R$ 1,800 mil, respectivamente, também na PMSP.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias