avaliação

Estoque de crédito atinge R$ 2,715 trilhões em 2013

No ano de 2013, foi registrada alta de 13,3% para empresas e de 16,3% para a pessoa física

Da AE
Da AE
Publicado em 29/01/2014 às 11:05
Leitura:

O estoque de operações de crédito do sistema financeiro subiu 2 4% em dezembro sobre novembro somando R$ 2,715 trilhões no final do ano, informou nesta quarta-feira (29) o Banco Central. No acumulado do ano, houve alta de 14,6%. O crédito às empresas cresceu 3,0% e para as pessoas físicas, 1,8% em dezembro passado. No ano de 2013, foi registrada alta de 13,3% para empresas e de 16,3% para a pessoa física. 

De acordo com o BC, o crédito livre cresceu 1,7% no mês de dezembro ante novembro e 7,8% no ano, enquanto o direcionado aumentou 3,3% em dezembro e 24,5% em 2013. No crédito livre, houve crescimento de 1,0% para pessoas físicas no mês e de 7,6% no acumulado do ano. Para as empresas, no crédito livre, houve aumento de 2,4% em dezembro e alta de 8,0% em 2013. 

O volume de crédito oferecido pelos bancos passou de 53,9% do Produto Interno Bruto (PIB) em dezembro de 2012 para 56,5% em dezembro passado, registrando assim novo recorde. Em novembro, essa relação estava em 55,5%.

CONCESSÕES - A média diária de concessões de crédito livre subiu 7,3% em dezembro em relação a novembro, para R$ 14,1 bilhões. A alta ao longo de 2013 foi de 8,3%. No crédito direcionado, a média subiu 38,2% de novembro para dezembro, levando à alta do ano para 28 0%. Essas concessões somavam R$ 2,9 bilhões no encerramento de 2013.

Considerando-se o crédito livre mais o direcionado, a alta é de 11,6% em dezembro e de 10,7% ao longo de todo o ano passado. O total das concessões diários ficou em R$ 17 bilhões ao final do ano. 

JUROS - A taxa média de juros no crédito livre caiu de 29,4% ao ano em novembro para 29,0% ao ano em dezembro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 29, pelo Banco Central. Com essa queda, a taxa volta exatamente para o patamar de outubro. Em um ano, a taxa subiu 3,7 pontos porcentuais, já que em dezembro de 2012 estava em 25,3% ao ano.

Para pessoa física, a taxa de juros no crédito livre passou de 38,5% em novembro para 38,0% no último mês de 2013. Para pessoa jurídica, houve queda, passando de 21,5% para 21,4% de novembro para dezembro.

Entre as principais linhas de crédito livre para pessoa física, o destaque de alta ficou com o cheque especial, cuja taxa subiu de 146,4% em novembro para 147,9% no mês passado. Desde junho de 2012 (156,7%) que os juros dessa modalidade não ficavam tão elevados. Ao longo de 2013, as taxas cobradas pela linha mais cara que o consumidor pode acessar subiram 9,9 pontos porcentuais, já que em dezembro de 2013 o juro médio era de 138% ao ano.

Para o crédito pessoal, no entanto, a taxa total caiu de 41,7% em novembro para 41,3% em dezembro do ano passado. Houve alta, porém, na comparação com o final de 2012, quando esse juro encerrou em 36,9%. No caso de consignado, a taxa passou de 24,5% para 24,4% de novembro para dezembro e, nas demais linhas, de 86 4% para 86,1%.

No crédito para aquisição de veículos para pessoas físicas, os juros permaneceram em 21,3% de um mês para outro. A taxa média de juros no crédito total, que também inclui as operações direcionadas, caiu de 20,0% em novembro para 19,7% em dezembro. 

CRÉDITO LIVRE - O spread bancário médio no crédito livre caiu de 18,2 pontos porcentuais em novembro para 17,5 pontos porcentuais em dezembro. O spread médio para as pessoas físicas no crédito livre passou de 26,6 pontos porcentuais para 25,8 pontos porcentuais. Para pessoa jurídica, o spread médio caiu de 10,9 pontos porcentuais para 10,6 pontos porcentuais no período. Ao longo de 2013, houve uma queda de 0,1 ponto porcentual do spread total, já que ao final de 2012 o patamar médio estava em 17,6 pontos porcentuais.

O spread médio do crédito direcionado se manteve em 2,6 pontos porcentuais na passagem de novembro para dezembro. O spread médio no crédito total (livre + direcionado) recuou de 11,5 pontos porcentuais para 11,1 pontos porcentuais.

O BC informou também que a taxa de captação dos bancos no crédito livre subiu de 11,2% ao ano em novembro para 11,5% no último mês do ano. Vale lembrar que 2013 foi um ano de trajetória de alta dessa taxa, que encerrou 2012 em 7,7%.

InadimplênciaA taxa de inadimplência no crédito livre ficou em 4,8% em dezembro de 2013, mesmo nível de novembro, segundo o BC. No fim de 2012, estava em 5,6%. Para pessoa física, subiu de 6,6% para 6,7% na comparação mensal. Para as empresas, passou de 3,3% para 3,1%. Em dezembro de 2012, os dois indicadores estavam, respectivamente, em 8,0% e 3,7%. 

A inadimplência do crédito direcionado caiu de 1,0% em novembro para 0,9% em dezembro de 2013. Estava em 1% em dezembro de 2012. O dado que considera crédito livre mais direcionado mostra inadimplência de 3,0% em dezembro, ante 3,1% em novembro de 2013 e 3,7% em dezembro de 2012. 

No crédito livre para pessoa física, a inadimplência no crédito pessoal se manteve em 4,0% pelo terceiro mês seguido. Estava em 4,8% no fim de 2012. No cheque especial, subiu de 8,1% para 9,3% na comparação mensal e fechou o ano passado acima do nível de dezembro de 2012 (9,1%). 

Na aquisição de veículos, caiu de 5,3% em novembro para 5,2% em dezembro. No cartão de crédito, subiu de 24,4% para 25,6% na mesma comparação. Essas duas modalidades tiveram queda no ano. Em dezembro de 2012, a inadimplência era de 6,4% para veículos e 28,7% no cartão.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias