energia

ONS: indicador de custo entre dias 11 e 17/10 sobe 15,7%

O CMO médio nas quatro regiões será de R$ 802,38/MWh, uma variação de 15,7% na comparação dos mercados SE/CO, N e NE

Karol Albuquerque
Karol Albuquerque
Publicado em 10/10/2014 às 16:52
Leitura:

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) divulgou nesta sexta-feira (10) o indicador de custos marginais de operação (CMO) para o período entre 11 e 17 de outubro, com elevação para todos os subsistemas. Os preços voltam a valores idênticos, ao contrário do que ocorreu na semana passado, quando o CMO da região Sul ficou abaixo dos mercados Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

O CMO médio nas quatro regiões será de R$ 802,38/MWh, uma variação de 15,7% na comparação dos mercados SE/CO, N e NE, cujo indicador estava em R$ 693,49/MWh. Se considerado o valor de R$ 429,10/MWh para a região Sul divulgado na sexta-feira passada, neste mercado houve elevação de 87% no CMO divulgado nesta sexta pelo ONS.

O CMO é uma referência da trajetória esperada para o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), indicador utilizado como referência de preço para a energia comercializada no mercado de curto prazo. O cálculo do PLD válido para o período considerado deve ser divulgado ainda hoje pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

O Informe do Programa Mensal de Operação (IPMO) publicado semanalmente pelo ONS projeta um volume menos robusto de chuvas no Sul do País, mas ainda em patamares acima da média. A previsão de Energia Natural Afluente (ENA) na região foi reduzida de 188% da média de longo termo (MLT) para 152% da MLT.

A estimativa para as demais regiões é igualmente desfavorável nesta semana. No caso do subsistema Sudeste, a previsão foi revisada de 77% para 70% da MLT em outubro. No subsistema Nordeste, a previsão caiu de 45% para 41% da MLT. A projeção para ENA na região Norte foi elevada de 83% para 84% da MLT.

Como a estimativa para a região Sudeste/Centro-Oeste foi menos favorável na última semana, o ONS reduziu de 21,5% para 19,9% a estimativa para o nível dos reservatórios ao final de outubro. A região Sudeste é considerada a caixa d'água do País, por concentrar aproximadamente 70% da capacidade nacional de armazenamento. Nesta quinta-feira (9), o nível dos reservatórios no Sudeste era equivalente a 23,85% da capacidade.

No Sul, a nova projeção é de que os reservatórios encerrem o mês com 96,4% da capacidade, abaixo da previsão de 97,1% anunciada na sexta-feira passada, mas acima dos 89,40% desta quinta. No Nordeste, a previsão foi revista de 15,7% para 15,1%. Já na região Norte, houve revisão de 33,7% para 34,7%, o mesmo patamar anunciado duas semanas atrás. Ontem, o nível dos reservatórios nas duas regiões estava em 20,10% e 39,27%, respectivamente.

CARGA - O ONS também revisou a previsão da carga mensal no sistema nacional para o mês de outubro, que deverá ficar em 65.309 MW médios. O número é inferior à estimativa anterior, de 65.529 MW médios. Caso confirmada a nova projeção, a carga terá crescimento de 1,3% na comparação com o mesmo mês de 2013, abaixo da estimativa de 1,7% divulgada na sexta-feira passada.

As projeções de todos os subsistemas sofreram alterações, com destaque para as regiões Nordeste e Norte. A estimativa de crescimento no Nordeste foi revista de 4,7% para 3,4% em outubro. No Norte, a estimativa positiva de 2% da semana passado foi revertida em uma projeção negativa de 1,5% hoje.

Na região Sudeste, a mais importante do País, a estimativa de aumento da carga em outubro foi revista de 0,7% para 1%. No Sul, a estimativa foi reduzida de +2,3% para +2,1%.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias