Governo

Arrecadação da Receita teve queda real de 5,44% em janeiro

Fator que mais contribuiu negativamente para o resultado da foi a redução no valor dos pagamentos de impostos efetuados por estimativa

Da Agência Brasil
Da Agência Brasil
Publicado em 25/02/2015 às 13:10
Foto: Agência Brasil
Fator que mais contribuiu negativamente para o resultado da foi a redução no valor dos pagamentos de impostos efetuados por estimativa - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

O governo federal arrecadou R$ 125,282 bilhões em termos nominais (sem descontar a inflação) em impostos e contribuições em janeiro de 2015. Em termos reais, ou seja, já descontada a inflação, o resultado representa queda real de 5,44 % em relação ao mesmo período de 2014

Foi o pior resultado desde 2012, quando – em janeiro -  foram arrecadados R$ 123,181 bilhões.  Os dados foram divulgados hoje (25) pela Receita Federal.

De acordo com o órgão, o fator que mais contribuiu negativamente para o resultado da arrecadação das receitas administradas pelo órgão, em janeiro, foi a redução, em relação a janeiro de 2014, no valor dos pagamentos de impostos efetuados por estimativa. Tais pagamentos obrigam o contribuinte a ajustar o total de pagamento de impostos no final de um determinado período.

Houve uma queda de 12,16% nas arrecadações do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, reduzidas de R$ 36,3 bilhões para R$ 31,9 na comparação entre janeiro de 2014 para o mesmo período de 2015. Estes tributos representam 87,18% na arrecadação das receitas administradas pelo Fisco federal.

De acordo com a Receita, entre os principais fatores macroeconômicos que influenciaram a arrecadação está o desempenho dos principais indicadores macroeconômicos, incluindo a produção industrial, com queda de 2,7% na comparação de janeiro de 2014 com janeiro de 2014, e a queda na venda de bens e serviços (-2,2% na mesma comparação).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias