SORTE

Arrecadação por apostas em loterias federais caiu 13,8% em 2016

Crise econômica seria o motivo para a queda na arrecadação por apostas

RENATO MOTA
RENATO MOTA
Publicado em 10/01/2017 às 9:38
Foto: Fotos Públicas
Crise econômica seria o motivo para a queda na arrecadação por apostas - FOTO: Foto: Fotos Públicas
Leitura:

A crise econômica que o País vem passando nos últimos anos fez mais uma vítima: a esperança do brasileiro. A retração da economia impactou negativamente nas apostas nas loterias federais no ano passado. O valor arrecadado em 2016 caiu 13,8% e ficou em R$ 12,8 bilhões. Em 2015, o total arrecadado foi R$ 14,9 bilhões. Normalmente, em momentos de crise, as apostas aumentam. No ano passado, entretanto, essa regra foi quebrada.

O montante arrecadado em 2016 também foi inferior a 2014 (R$ 13,5 bilhões). Os dados da arrecadação das loterias federais, administradas pela Caixa Econômica Federal, foram divulgados pelo Ministério da Fazenda. As loterias federais são reguladas pela Secretaria de Acompanhamento Econômico da pasta. 

“Antes eu fazia pelo menos dois jogos por vez. Ultimamente tenho feito só um – e já estou pensando neste ano em fazer nenhum, parar de jogar”, conta o motorista Edeilton Pereira, que costumava apostar não só nos jogos da loteria como em títulos de capitalização como Tele Sena. “A desilusão está tão grande que não tenho mais vontade de gastar com loteria. Quase nunca o prêmio sai para Pernambuco”, afirma Edeilton.

Como nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 1892 da Mega-Sena sorteadas no último sábado, em São Paulo, o prêmio acumulado para o próximo concurso deve chegar a R$ 8 milhões. Os números sorteados foram: 06, 17, 22, 30, 37, 50. De acordo com a Caixa, 31 apostas vencedoras ganharam R$ 52.421,85 e 2.623 apostas ganhadoras levaram R$ 885,07.

Mas nem tudo é falta de esperança nas lotéricas. Para o empresário Almir Farias, a crise é um motivo a mais para jogar. “Pelo menos três vezes na semana jogo na Quina. Tem mais sorteios e as chances são melhores”, diz. O empresário até já sabe o que faria com o dinheiro do prêmio: R$ 2,1 milhões. “Parece muito dinheiro, mas nem é tanto assim. Primeiro equilibraria minhas contas e depois procuraria uma maneira de fazê-lo render. Mas mesmo ganhando esse valor, hoje, não dá pra ficar sossegado”, avalia.

SERVIÇOS

A maior parte das pessoas que procura as cerca de 400 casas lotéricas do Estado o fazem para sacar benefícios sociais, contra pagar contas e fazer apostas. A mudança no comportamento tem gerado uma redução de até 20% no faturamento dos empreendimentos, segundo informações do Sindicato dos Lotéricos de Pernambuco.

A Fazenda também informou que o governo arrecadou, com Imposto de Renda sobre prêmios pagos aos vencedores, R$ 1,07 bilhão. Assim, do total do faturamento com loterias, R$ 6,1 bilhões foram destinados aos cofres do Tesouro Nacional. “As loterias federais possuem grande potencial de expansão no País, uma vez que, em uma comparação ao que ocorre no mundo, poucas modalidades lotéricas são exploradas no Brasil, afetando substancialmente a arrecadação per capita”, avaliou o Ministério da Fazenda.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias