MERCADO

Taxas futuras de juros encerram sessão em queda

A falta de surpresa na eleição para presidente da Câmara dos Deputados acabou colaborando para a jornada de queda

Estadão Conteúdo Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 02/02/2017 às 16:32
Foto: USP Imagens
A falta de surpresa na eleição para presidente da Câmara dos Deputados acabou colaborando para a jornada de queda - FOTO: Foto: USP Imagens
Leitura:

Os juros futuros encerraram a sessão regular desta quinta-feira (2) com viés de queda. Nos vencimentos mais longos, o recuo foi maior. Segundo profissionais do mercado de renda fixa, a trajetória foi motivada por um conjunto de fatores locais e externos. 

A perspectiva de que os juros não vão subir tão brusca e fortemente nos EUA - traçada pela decisão do Federal Reserve (o banco central norte-americano) divulgada na quarta - levou a uma desvalorização do dólar nesta quinta ante várias divisas, inclusive perante o real. "Essa lógica ajuda na queda das taxas hoje", afirma o sócio da Garde Asset Management Marcelo Giufrida

A falta de surpresa na eleição para presidente da Câmara dos Deputados também acabou colaborando para a jornada de queda dos juros nesta quinta-feira. Segundo três profissionais ouvidos pelo Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) em primeiro turno apenas confirmou o cenário base de muitos analistas. 

Ou seja, confirmou a escolha de um aliado de Michel Temer no comando da Câmara. Se a decisão tivesse ido para o segundo turno, é provável que as taxas tivessem sofrido algum revés, de acordo com um operador. 

DI

No fim da sessão regular, o DI para janeiro de 2018 estava em 10,865% ante 10,895% no ajuste de quarta. O DI para janeiro de 2019 fechou a 10,31% ante 10,35% no ajuste da véspera. O DI para janeiro de 2021 encerrou a 10,60% ante 10,67% no ajuste de quarta.

 

 

 

 

 

 

Últimas notícias