Mercado

Heineken compra dona da Schin por mais de R$ 2 bilhões

Acordo foi anunciado nesta segunda-feira (13). Kirin chegou ao Brasil em 2011 após comprar a Schincariol

AFP
AFP
Publicado em 13/02/2017 às 8:02
Foto: Skol/Divulgação
FOTO: Foto: Skol/Divulgação
Leitura:

O grupo japonês de bebidas Kirin Holdings anunciou nesta segunda-feira (13) um acordo para vender sua filial no Brasil à cervejaria holandesa Heineken por 660 milhões de euros (700 milhões de dólares).

"Levando em conta os riscos associados à economia brasileira e a situação da concorrência em um mercado estancado, a Kirin chegou à conclusão de que seria difícil transformar o Brasil Kirin em uma atividade rentável", explicou a companhia em um comunicado.

Cifras ultrapassam R$ 2 bilhões

Portanto, venderá a totalidade de sua participação na Kirin Brasil ao grupo Bavaria, proprietário da Heineken, pelo equivalente a 2,2 bilhões de reais (700 milhões de dólares).

A Kirin chegou ao Brasil em 2011 mediante a compra da segunda cervejeira local, Schincariol, por 2,65 bilhões de dólares.

Foto: Skol/Divulgação
1ª: A gelada mais querida no Brasil é a Skol (Ambev). No mundo, a cerveja ocupa a 5ª posição - Foto: Skol/Divulgação
Foto: Brahma Chopp/Divulgação
2ª: A cerveja fabricada pela Ambev é chamada de Brahma Chopp por seu teor leve, similar ao chopp - Foto: Brahma Chopp/Divulgação
Foto: Antarctica/Divulgação
3ª: A Antarctica nasceu na primeira fábrica brasileira de cerveja de baixa fermentação em 1888 - Foto: Antarctica/Divulgação
Foto: Nova Schin/Divulgação
4ª: Produzida pela Brasil Kirin, a Schin é uma cerveja do tipo Pilsen tida como popular - Foto: Nova Schin/Divulgação
Foto: Itaipava/Divulgação
5ª: É das máquinas da cervejaria Petrópolis que sai a Itaipava, fundada em 1993 e popular no Brasil - Foto: Itaipava/Divulgação
Foto: Kaiser/Divulgação
6ª: Mineira, a Kaiser foi criada em 1982 por Luiz Gonçalves, dono de uma franquia da Coca-cola - Foto: Kaiser/Divulgação
Foto: Crystal/Divulgação
7ª: Também do grupo Petrópolis, é uma cerveja Pilsen com versões saborizadas de guaraná e limão - Foto: Crystal/Divulgação
Foto: Bohemia/Divulgação
8ª: Fundada em Petrópolis em 1853 por um alemão, a Bohemia foi a primeira cervejaria do Brasil - Foto: Bohemia/Divulgação
Foto: Bavaria/Divulgação
9ª: Conhecida como a 'Cerveja dos amigos', a Bavaria é produzida pela Heineken - Foto: Bavaria/Divulgação
Foto: Chopp Brahma/Divulgação
10ª: O chopp Brahma passa pelo mesmo processo da cerveja da marca, a única diferença é o envasamento - Foto: Chopp Brahma/Divulgação

Com a operação anunciada nesta segunda-feira, que precisa ser aprovada pelas autoridades reguladoras, a Heineken se transformará na segunda maior cervejaria do Brasil, atrás da Ambev, filial local do grupo belgo-brasileiro AB-Inbev. 

De acordo com informações do seu site, a Brasil Kirin tem 12 fábricas e uma rede de distribuição própria no Brasil, com 15 marcas de águas, refrigerantes e cervejas, assim como uma oferta de seis cervejas premium, um mercado que se expandiu nos últimos anos no país. 

A Heineken chegou ao Brasil em 2010. Tem cinco fábricas, produce e comercializa uma dezena marcas de cerveja e importa outras de México, Itália, Áustria e Irlanda, segundo o seu site,.

Embora o Brasil seja o terceiro mercado mundial de cerveja atrás da China e dos Estados Unidos, o país vive sua pior recessão em mais de um século e essa situação aumentou a concorrência no mercado de bebidas alcoólicas.

Últimas notícias