Nova medida

Gol anuncia que cobrará por mala despachada

Companhia é a primeira a confirmar que valor da passagem ficará mais caro em caso de despache de babagem

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 17/02/2017 às 17:40
Foto: Divulgação
Companhia é a primeira a confirmar que valor da passagem ficará mais caro em caso de despache de babagem - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

A Gol passará a oferecer duas classes tarifárias para suas passagens aéreas, uma para quem viajará apenas com bagagem de mão e outra para os viajantes que optarem por despachar malas, afirmou nesta sexta-feira (17), o diretor-presidente da empresa, Paulo Sergio Kakinoff. Antes da Gol, a Latam Airlines, maior companhia da América Latina, havia anunciado desconto na passagem para quem não despachasse a bagagem.


Durante teleconferência sobre os resultados do quarto trimestre de 2016, o executivo afirmou que o fim da cobrança de franquia de bagagem nas passagens representa a adequação do setor aéreo brasileiro às normas internacionais. "Vai ficar muito claro ao cliente qual o preço regular da tarifa e o valor sem despachar a bagagem", disse.

A empresa passará a oferecer uma classe tarifária mais barata para os clientes que não forem despachar bagagens e disponibilizará, separadamente, a opção de adquirir uma franquia, que será calculada por unidade, seguindo as dimensões e peso estipulados.

Segundo a empresa, os valores da unidade, que ainda serão definidos, irão crescer de acordo com quantidade de malas - a primeira será mais barata que a segunda, que será mais barata do que a terceira, e assim por diante.

Medida começa a valer em março

A medida valerá a partir de 14 de março, quando entra em vigor uma determinação da Anac em dezembro que pôs fim à gratuidade do serviço. À época, os representantes da Anac disseram que a medida deverá ter um resultado positivo para o consumidor, uma vez que as companhias aéreas já embutem em suas tarifas de voo essa cobrança a todos os passageiros. 

O novo modelo de cobrança, segundo a Anac, já é adotado em outros países. A expectativa da agência é de que a concorrência entre as empresas leve à queda de preços das passagens.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias