IPCA

Brasil está deixando taxas mais altas de inflação para trás, diz IBGE

Mais cedo, o órgão informou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 0,25% em março, acumulando alta de 4,57% em 12 meses

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 07/04/2017 às 11:34
Foto: ABr
Mais cedo, o órgão informou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 0,25% em março, acumulando alta de 4,57% em 12 meses - FOTO: Foto: ABr
Leitura:

O Brasil está deixando as taxas mais altas de inflação para trás, afirmou nesta sexta-feira (7), a coordenadora de Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Eulina Nunes dos Santos. Mais cedo, o órgão informou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 0,25% em março, acumulando alta de 4,57% em 12 meses.

Em fevereiro, o acumulado em 12 meses ficara em 4,76%. Segundo Eulina, foi a primeira vez que o IPCA em 12 meses ficou abaixo de 5% por dois meses seguidos desde 2012.

Para a pesquisadora do IBGE, a demanda fraca está por trás do alívio da inflação. Com desemprego elevado, a renda está em queda. "As pessoas não estão comprando. O consumo está bastante inibido", disse Eulina, em entrevista coletiva na sede do IBGE, no Rio.

Saída da alta nos preços dos alimentos

Segundo Eulina, a saída da alta nos preços dos alimentos no início de 2016, causada por eventos climáticos, fez com que o IPCA acumulado em 12 meses desacelerasse. No primeiro trimestre de 2016, o grupo Alimentação e Bebidas tinha avançado 4,65%. No primeiro trimestre deste ano, a alta do grupo foi de 0,24%.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias