CONSUMO

Vendas de ovos de Páscoa ganham fôlego no Recife

Para impulsionar as vendas, lojistas oferecem descontos de última hora que atraem o consumidor cauteloso com os gastos

Talita Barbosa
Talita Barbosa
Publicado em 15/04/2017 às 7:29
Foto: Guga Matos/ JC Imagem
Para impulsionar as vendas, lojistas oferecem descontos de última hora que atraem o consumidor cauteloso com os gastos - FOTO: Foto: Guga Matos/ JC Imagem
Leitura:

Os grandes estabelecimentos comerciais recifenses abriram as portas no feriado da última Sexta-Feira Santa (14), à espera de vendas fartas de ovos e chocolates de Páscoa. Vale tudo nas últimas tentativas de impulsionar os negócios para a data e tentar contornar as expectativas negativas de vendas para este ano.

O cenário, desanimador para lojistas, é atrativo para o consumidor, que aguardou para garantir a melhor oferta. Na última hora, a estratégia é conquistar o consumidor que anda cauteloso com os gastos oferecendo preços ainda mais atrativos.

“Pesquisei bastante e voltei aqui. Comprei dois ovos para os meus filhos, um para o meu sobrinho e uma caixa de chocolate, vai que aparece alguém lá em casa”, contou a professora Juliana Franco. A funcionária pública Jacqueline Antunes também aproveitou a Sexta-Feira Santa para comprar os chocolates da família. Foram quatro ovos, numa compra de R$ 79. “Cheguei aqui e me deparei com essa fila enorme no caixa, mas é uma espera que vale a pena. O amontoado de gente acaba amassando alguns, mas sempre dá pra achar um que esteja em bom estado”, afirma.

Sorriso maior que aquele de quem ganha um chocolate parece ser o de quem vende. É o caso do promotor de vendas Ivsson Luiz. Nesses últimos dias que antecedem a Páscoa, os descontos nos produtos mais buscados fizeram as vendas da empresa que ele representa aumentar em até 50%.

“No começo das vendas, a gente fechava o dia vendendo R$ 50 mil, num dia bom, R$60 mil em ovos e chocolates. Agora, estamos batendo a marca dos R$ 100 mil em vendas”, conta. Ele cita as alterações dos valores feita em dois produtos para tentar justificar os motivos desse salto no consumo dos produtos. Um ovo Sonho de Valsa, de 27o gramas, que antes era vendido por R$ 29,99, agora custa R$ 19,99. Outro tipo de ovo, o Diamante Negro de 215 gramas, custava R$29,99 e hoje vale R$ 25,99. “Até o domingo vamos vender praticamente tudo”, comemora o promotor de vendas.

Pesquisa

Uma pesquisa realizada pelo Procon-PE, divulgada na última segunda-feira (10), apontou que a diferença entre os preços de ovos de Páscoa no Recife pode levar os consumidores a pagarem o dobro por um mesmo produto, dependendo do local em que o item for adquirido. No caso do chocolate, o quilo do ovo pode chegar a até R$ 416,58, quase 50% do valor do salário mínimo nacional.
Vale lembrar que o Brasil é o quinto maior consumidor de chocolate do mundo, uma média per capita de 2,5 quilos anuais. O País detém a posição de maior Páscoa do mundo, 63% dos brasileiros têm o hábito de presentear com chocolates nessa época.

Apesar da expectativa pelo fim da semana, um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras) apontou para uma redução de 4,9% nas vendas em relação ao feriado do ano passado. Cerca de 39% dos empresários do setor acreditam que os resultados de 2017 serão inferiores aos apresentados no ano passado.

Ainda segundo o estudo, em relação às encomendas de chocolates, os varejistas optaram pela cautela na Páscoa deste ano, ao apostar nos produtos de menor valor agregado, como as caixas de bombons de 400 gramas, chocolates em geral – barra, tablete, etc. –, e bombons. Os outros itens tradicionais também registraram queda nas encomendas: ovos de Páscoa em geral tiveram queda de 9,8% nos pedidos feitos pelos varejistas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias