TECNOLOGIA

Boatos de que Whatsapp cobrará R$ 0,37 por mensagem voltam a circular

Mensagens falsas começaram a circular após instabilidade que tirou o aplicativo do ar na última quarta-feira (3)

Editoria de Economia
Editoria de Economia
Publicado em 05/05/2017 às 14:07
Foto: Reprodução
Mensagens falsas começaram a circular após instabilidade que tirou o aplicativo do ar na última quarta-feira (3) - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

Após a instabilidade mundial que derrubou o Whatsapp na última quarta-feira (3), alguns usuários aproveitaram para reacender boatos que o aplicativo se tornaria pago.

Quando o serviço voltou a funcionar, uma mensagem supostamente escrita por um dos diretores da empresa, que se apresenta como Jélysson, começou a circular. No texto ele diz aos usuários que o número das contas disponíveis estava se esgotando, dando a entender que o bloqueio teria sido causado pelo grande número de contas ativas.

Por isso, ele pede para que a mensagem fosse repassada, a fim de confirmar que a pessoa é ativa na plataforma. Caso contrário, a conta seria desativada. Outro ponto do falso comunicado que deixou muita gente preocupada diz respeito ao pagamento de R$ 0,37 por mensagem enviada.

O aplicativo de troca de mensagens instantâneas é o mais utilizado no Brasil e conta com cerca de um bilhão de usuários no mundo. São mais de 42 bilhões de mensagens enviadas todos os dias. O Whatsapp ganha, por dia, mais de 1 milhão de usuários.

 

 

Boato

O WhatsApp informa que nunca envia mensagens diretas aos usuários, que o serviço é gratuito e que o usuário não precisa fazer nada para continuar utilizando a plataforma gratuitamente. Além disso, o texto apresenta erros de ortografia e já foi desmentido pela própria empresa.

Bilhões de mensagens

O Whatsapp ganha, por dia, mais de 1 milhão de usuários. Das 42 bilhões de mensagens enviadas diariamente, 1,6 bilhão são fotos e 250 milhões de vídeos. O Whatsapp foi comprado pelo Facebook em 2014, por US$ 19 bilhões. Esse valor foi superior ao orçamento anual da Nasa, na época, de 17 bilhões de dólares. O aplicativo é responsável por 27% de todas as selfies publicadas na internet, incluindo redes sociais e blogs. Esse é o resultado de uma pesquisa realizada pela Digital Company Statistics.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias